terça-feira, 5 de maio de 2009

MOBILIZAÇÃO




Aqui cabe uma outra reflexão, que não vem do preconceito mas de um fato: a eficiência do poder de comunicação que Santa Catarina promoveu. A tragédia por que passou não saiu dos telejornais e de toda a mídia. Na internet formou-se uma verdadeira corrente de informações. Também lá não se esperou apenas que o poder público tomasse atitudes. Os jovens, principalmente, porque vivem conectados com o mundo via internet, fotografavam e filmavam com seus celulares, alimentavam as páginas de relacionamento, blogs e sites com informções sobre vítimas, etc. E aqui sim, pesam as condições socioeconômicas da região. 

De toda forma, acredito que há sempre alguma coisa a mais que poderia ser feita. Então por que a gente não faz? Vejo muito mais gente das áreas atingidas  que alimentam seus sites, blogs, fotologs e páginas de relacionamento com gracinhas e fotos e que tais dos que as que usam o espaço para divulgar a enchente, mostrar ao resto do Brasil que o problema é grande e grave. 

Nas escolas, nas igrejas, nos locais de trabalho, enfim, é sempre possível chegar com uma idéia e ela logo tomar forma na grande rede. 

Sempre é possível fazer um pouquinho mais.

(Capturei as fotos dos sites www.imirante.com e do blog www.porelsonaraujo.blogspot.com Tive dificuldade para encontrar imagens. Poucas imagens inéditas publicadas, uns usando o que outros já publicaram, mesmo nos sites de imprensa. Algumas fotografias, por outro lado, não mostram a real extensão, a gravidade da situação. Mesmo no sofrimento encontra-se sempre algum alento, mas na hora de emitir um grito de alerta, de chamar atenção para o problema, acho inadmissível um jornal publicar foto de crianças brincando, se divertindo nas águas, realmente ajuda a mascarar o problema, não a divulgar os fatos, os danos, a tragédia.)

Sem comentários:

Enviar um comentário