terça-feira, 5 de maio de 2009

PRECONCEITO?




Não é o caso de uma discussão técnica, sobre a diferença, a extensão dos danos causados em um e outro. Falo do lado humano. Nele não dá para mensurar, por isso não se pode comparar, o tamanho ou a gravidade de uma tragédia. Simplesmente porque sofrimento não tem como ser medido, logo, um não pode ser maior do que o outro. Não podemos dizer que A sofreu mais que B.

Em termos reais e materiais, no entanto, parece que há uma certo conformismo com as situações adversas no NE e NO do Brasil. Eu detesto qualquer tipo de preconceito, não gosto de citá-los porque parece-me que eles são sempre ressaltados ao invés de eliminados, mas o que eu vejo é uma forma de preconceito, sim. As avessas, mas preconceito.

Sem comentários:

Enviar um comentário