sexta-feira, 19 de junho de 2009

E O SARNEY, HEIM?


Eu até queria me segurar, na expectativa de terminar a sexta-feira, só para não tirar do foco, além da belíssima música numa bacana interpretação do 'mais ou menos' colírio Davi Morais, a homenagem que este blog faz a quem "guarda" as sextas assim como nós, católicos, "guardamos" o domingo. Mesmo não professando, tenho profundo respeito por várias correntes de fé. Pois eu não queria tirar o post da sexta-feira do foco, seja pela frase desta autora aqui, seja pelo vídeo de Davi Morais.

Well, não foi possível: com todo respeito, botem essa aí na conta do Sarney e cobrem dele. Aliás, cobrem mesmo, por favor.

Sim, falemos de Sarney. Esse esse arremedo de líder político, o dono do Maranhão e inquilino do Amapá, e tanto quanto, é também um arremedo, até para uma amadora como eu, de um péssimo escritor. Está muito aquém de qualquer coisa próxima de ser um razoável escritor de. Enfim, falemos desse conjunto de baboseiras chamado José Sarney, que desde que tomei ciência de sua existência, nos idos dos anos 80, não me desce goela abaixo. Sempre entalou, tão ruim que é. E ainda por cima, de bigodes. Intragável e impossível de digerir.

Pois é, esse cidadão que só se fez porque o Maranhão permitiu, (ah, colegas maranhenses, sim, vocês pariram, embalaram, não defenestraram enquanto Jackson Lago esteve no poder, daí, agora que aguentem sua parcela de culpa pela passividade) aceitou, e ainda aceita - posto que foi dado de presente para a primeira-filha o governo do Estado, novamente, sem nenhuma reação da opinião pública. Então, agora, por não ser mais do interesse do presidente da República Sindical da Idade das Trevas, só por não ser mais útil ao governo de merda do Looola, todas as estripulias possíveis e imagináveis de El Bigodón, o Sarney, praticadas até então em segredo, agora estão subindo à tona.

Looola, como é praxe em quase (quase, nem todos) todos os que detém o poder, usa e abusa de outrem de acordo com sua conveniência, lançou uma conversinha mole para o velho, fazendo-o acreditar que era a última Coca-Cola do Saara. Pois o velho acreditou, embarcou e foi ser presidente do Senado. Pronto. Looola conseguiu colocar um velho caquético, vaiodoso e por tanta vaidade,  para se queimar em seu lugar, no momento em que isso lhe fosse mais conveniente.

O momento chegou: o Senado criou a CPI da Petro-roubaparaopetê-brás e isso foi o estopim para que toda a sujeirada, do Senado em geral e de José Sarney em particular, viesse à tona. Um dano colateral não imaginado, não desejado, porém tão bom quanto se fosse planejado, da instalação da CPI da Petrobrás.

Se não fosse isso, José Sarney, seu irmão, seus sobrinhos, seus netos, uma parente de seu (ex-atual-de fachada) genro, seu macumbeiro pessoal, e até uma das amantes de um dos seus filhos, toda essa gente, nenhum deles, não teriam aparecido como favorecidos do seu, do meu, do nosso suado dinheirinho, sem sequer terem jamais aparecido para trabalhar. E isso é só começo. Se forem mais a fundo, vão achar, por exemplo dentre outras coisas, as 'moças de fino trato' que seu outro filho, o mais novo, aquele que é o enjeitadinho, importa da capital de Goiás para Brasília, para sua diversão e de seus comparsas, ops, aliados políticos, em noitadas e mais noitadas, tão conhecidas nos bastidores de Brasília. Também tem os fornecedores da branca, aquela que não é sua filha, mas a chamada Branca de Neve, usada por mais de dois terços do clã, em festinhas e que tais.

Não fosse a total inutilidade ética, moral, institucional e pessoal de uma figura ridicularmente ultrapassada como José Sarney ter assumido o cargo de presidente do Congresso Nacional; não fosse a inutilidade total do dinossauro, nada disso teria vindo à tona. E nada do que aqueles que realmente conhecem os podres poderes da capital federal sabem, mas ainda, por uma questão de tempo, ainda não surgiu, viria à tona. Fosse o senador Tião Viana o presidente, nenhuma dessas trapaças de Sarney teria aparecido.

E não pensem que só o povo do Maranhão tem culpa, não....tecnicamente, aliás, o MA já não tem culpa alguma, posto que José Sarney é eleito pelo povo do AMAPÁ. Sim, o Maranhão lhe dá meios, riqueza e respaldo, mas quem elege essa criatura é o Amapá.

Maranhão e Amapá, risquem esse nomezinho de seus cadernos. Por amor-próprio, Por senso de preservação. De respeito moral a si mesmos.

Será revertido em dividendos primeiramente a vocês, antes de refletir no resto do país: nunca mais coloquem qualquer parte da banda Sarney, sequer perto do botão de CONFIRMA da urna de votação. Uma solene nanica, a esse espertalhão e sua gente toda, na hora de votar, é o que merecem.


Claro que, pelo poder que Sarney tem - e poder de ter arquivos na gaveta - Looola acabará salvando-o, de alguma forma. Mas fará isso só depois de deixá-lo arder bem. Só o voto salvará o povo.

2 comentários:

  1. Cuidadosa723/06/09, 13:10

    Amiga, agora vamos combinar que esse personal macumbeitor dele é bom, vai! (rindo)...

    ResponderEliminar
  2. É, amiga. Deu certo até agora, hehehehe. Vai ver atrasou algum trabalho, ou então, algum cavaleiro Jedi sacou seu sabre de luz e arrumou um personal macumbeitor muuuuito melhor, pra acabar com a farra do velho, hehehehe.

    ResponderEliminar