sexta-feira, 12 de novembro de 2010

QUESTÃO DE OPINIÃO




Cidadania cansa! 

Atualmente não há nada mais desgastante do que lutar pelos seus mais comezinhos direitos. E se for o do consumidor, respire fundo e, prepare para ser chamada de chata antes de ir à luta. É a farmácia que não entrega o medicamento urgente que você já deixou pago, é o dvd alugado que no meio do filme para de mostrar a legenda e, a mãe de todas as batalhas: a falta de troco nas mercadorias que comerciantes insistem em colocar por tantos mais 99 centavos.

Alguém já percebeu o olhar de indignação do caixa quando alguém insiste em querer este troco? E a censura não vem só do funcionário. Suspiros de impaciência dos consumidores que estão na fila geralmente também são ouvidos. Como todos os comerciantes sabem que a Casa da Moeda deixou de emitir moedas de 1 centavo e as pessoas em geral acham humilhante brigar por tão pouco, a ignorância e a má-fé se aliam contra o consumidor.

E o desrespeito chega a tal ponto que já recebi recibo em que constava que o troco foi dado. Claro que chamei o gerente, acusei a loja de não só desonestidade como também de fraude fiscal e consegui não só o troco de 5 centavos (conforme a lei determina – em caso de não ter o troco o comerciante deve devolver o menor valor monetário que tiver no caixa- não tem 1 centavo dá 5, não tem 5 dá 10 e assim sucessivamente) como também uma coca grátis (era uma lanchonete) junto dos pedidos de desculpas.

A farmácia, primeiro disse que só poderia entregar amanhã, depois de quinze minutos de muita discussão, avisou que a entrega seria hoje, mas bem mais tarde, pois o entregador estava na Lagoa e teria que voltar ao estabelecimento na Tijuca, para depois vir aqui para o centro. E faria todo este trajeto de ônibus, o que daria no mínimo duas horas e meia. Aceitei e, pasme, 40 minutos depois a entrega estava sendo feita. Como ônibus não tem asas, claro está que utilizaram outro funcionário.

O aluguel do DVD sem legendas também teve desconto, já que fiz questão de pagar por ter assistido todo o filme. Mas, tive que brigar com o funcionário que mesmo afirmando que eu era a segunda pessoa a reclamar estava colocando o vídeo na prateleira, para outro incauto pegar.

E assim vamos vivendo. Em um país em que o mau exemplo do presidente, ministros e políticos que desrespeitam o povo têm como retorno a re-eleição e popularidade alta, não seriam os comerciantes que se sentiriam obrigados a respeitar alguma lei, né não? E os cidadãos conscientes que se desgastem. Afinal, mesmo cumprindo sua parte com estes, os comerciantes, por conta da maioria ovina, ainda saem no lucro.

7 comentários:

  1. Atakardiac12/11/10, 11:28

    Tá certíssima Mirtes. Na Europa é assim mesmo, o troco vem direito se não o povo reclama duro.
    Mas aqui consumidor é visto como estorvo. Vejo as calçadas da principal avenida (Ataulfo de Paiva) do meu querido e belo bairro do Leblon perdendo as marquizes que nos protege em dias de chuva.


    Felizes comerciante nem lembram de colocar pelo menos um toldo pros seus disputados clientes.

    Bom consumidor é aquele que entra na loja, deixa seu dinheiro, não reclama da falta de troco e leva chuva na cara sem reclamar.

    Tristes trópicos!

    ResponderEliminar
  2. Maravilha de texto. Só podia ser seu.

    Mas fica a pergunta:

    Será q os politicos não são uma amostra de nossa sociedade?

    ResponderEliminar
  3. Revoltante, mas não podemos largar tudo na mão deles. Vamos ocupar os espaços e obrigá-los a abandonarem seus postos. Não arredo o pé. Sou chato.

    ResponderEliminar
  4. Marcitaaaaaaaaaaaa

    Que bom ter vc por aqui!
    Olha, eu sou a MAIS CHATA de todas as consumidoras que vc conhece!
    Fui a primeira - ATENÇÃO, A PRIMEIRA! - consumidora a receber a substituição de um produto comprado com defeito, direto da fábrica, na porta de casa, via VARIG.
    O Código ainda não tinha um ano e eu briguei com a Gradiente até chegar a um diretor que me disse:
    - A sra. tem toda a razão. O Código do Consumidor está aí para ser cumprido!
    E recebi meu som na porta de casa!
    Não deixo barato não...

    Muito, muito bom ter vc aqui, no time do Veneno!

    ResponderEliminar
  5. Marcinha, adorei ver seu texto!!!!
    Cidadania cansa, mas não mata gente como nós. Um dia, eles aprendem conosco.

    ResponderEliminar
  6. marcia190712/11/10, 15:43

    claro blues!
    afinal, conosco ninguém podosco! (rs)
    vide kika, a guerreira!

    ResponderEliminar
  7. Nós passamos tantos anos abaixo da linha do tolerável em cidadania que hoje quem faz questão dos seus direitos é visto como chato.
    Um país que as pessoas não tem compromisso com a própria palavra empenhada não chegará nunca a ser uma nação de verdade.
    Já fui parar em uma delegacia porque questionei um Policial Militar que havia estacionado a viatura sobre a grama de um jardim.
    Por sorte na delegacia o delegado entendeu minha atitude de cidadania e encerrou o problema.
    Uma vez que aqui em Santos, os jardins da praia são o orgulho dos cidadãos.

    ResponderEliminar