segunda-feira, 15 de novembro de 2010

V.I.P


Em parte, somos o que demonstramos ser. Ora como "incoveniente", já que por vezes, agimos com pouca (ou nenhuma) delicadeza (respeito) ao próximo (seja por causa do toque polifônico no mais alto volume, seja pelo esbravejo retumbante ao telefone - sem contar as expressões de baixo calão que são ditas ou devido ao cerceio à liberdade, silêncio e tantas outras coisas ao próximo); ora como "intransigente", já que não toleramos (ou não queremos tolerar) os abusos alheios, ainda que "extrapolem" do nosso espaço ou liberdade. Em outras palavras, se tem nos faltado a boa educação que nos impede de perceber o nosso extrapolar (ainda que acidental ou repentino), nos falta ainda mais a tolerância. Fato é: desrespeito e/ou intolerância é sempre mal vista, mal quista e indesejada. E com toda razão! (Comentário de Rafael, em Toca o telefone, 14/11/10)

2 comentários: