sábado, 18 de dezembro de 2010

FIM DE TARDE

"Para quem sabe amá-lo, o mundo de sua máscara de infinito, torna-se pequeno como uma canção, como um beijo do Eterno.
Existo..., que perpétua surpresa é a vida!
...Lemos mal o mundo e logo dizemos que o mundo nos engana.
Quantas barricadas o pensamento do homem ergue contra si próprio.
Se lanço minha própria sombra no caminho, é porque há uma lâmpada em mim que não se acendeu..."  (Rabindranath Tagore)

3 comentários:

  1. Rabindranath Tagore... eu nunca ouvira falar dele, Velvet.

    Então, corri atrás e descobri algumas coisas interessantes. Deixarei o link aqui para os não iniciados (à feitura de mim):

    http://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u366.jhtm

    Gostei dos versos, mas... não sei, talvez sejam as barricadas dos meus pensamentos (rsrsrs).

    Abraços, querida.

    ResponderEliminar
  2. Bem... o objetivo é a reflexão. Não, necessariamente, concordar com os versos. Nem desse, nem de qualquer outro...

    Esse é o segredo: pensar!

    Abraços, Casal 20!

    ResponderEliminar
  3. Gostei dos versos, Velvet!

    Só não estou acostumado ao estilo.

    Causou um certo "estranhamento estilístico".

    Mas gostei, descobri que havia um livro dele lá em casa, em Brasília, numa coleção de ganhadores do prêmio nobel.

    Parabéns pelo post.

    Gosto de conhecer coisas novas, ainda que eu seja muito fiel às já descobertas.

    Abraços, Velvet.

    ResponderEliminar