domingo, 5 de dezembro de 2010

HOMEM LIVRE



A liberdade não é uma dádiva divina, não é uma concessão de um ser humano a outro, também não é um bem tangível, mensurável... simplesmente, porque a liberdade é, antes de tudo, a essência moral do homem. É ele, encontra-se nele, princípio, meio e fim.

Aqueles outros seres, ou, mais adequadamente, aquelas coisas que ocupam espaços no mundo, que têm aparência, somente o aspecto externo de seres humanos, sem liberdade, não se revelam mais que um conglomerado de substâncias químicas, fixadas por forças eletrofísicas, que podem assumir formas humanóides, como poderiam, sem dificuldade, mostrarem-se extraterrestres, protozoários, vermes, bactérias, vírus etc.

Portanto, o homem somente é livre e, com efeito, homem, à medida que se compreende, se define, se constrói a si, para si e por si mesmo. 

Sem comentários:

Enviar um comentário