quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

BOM DIA, ESTADO

Status. Se por um lado há o estado que remete à política, território, nação, soberania, leis, povo, governo, Constituição, por outro a palavra remete apenas à raiz do latim: modo de estar, situação. E o 'modo de estar, situação' do anão parasita versão Caim que governa o estado é o mesmo. E o 'modo de estar, situação' de quem ganhou o direito de se opor, legitimamente, apoiado por cerca de 44% dos eleitores, continua o mesmo: inerte, inerme. Paralisado. Indefeso. 

O desgoverno não faz, não se mostra, não propõe, não governa. Abriga terrorista internacional, é criticado pelo mundo afora, e quem venceu a disputa para ser oposição não se manifesta. Os anões parasitas associados do desgoverno, em clima de chantagem para conquistar mais cargos - para controlar mais recursos e ter mais poder - se "opõem" à proposta de salário mínimo apresentada por seu sócio e os detentores do título de "oposição" emudecem, seja diante do valor do mínimo proposto, seja diante da disputa fratricida.

Estado. Status. Sem motor. Em ponto morto. Nesse ponto, desgoverno e desoposição estão iguais. Sem motor, sem motorista. Em ponto morto. Deixa como está para ver como é que fica.
"Seu corpo é uma máquina, mas sua mente é o motorista. O homem que não tem objetivo é uma máquina que desce uma ladeira descontrolada, à mercê do primeiro pedregulho ou da primeira vala que encontrar. O homem que sufoca sua mente é uma máquina emperrada enferrujando aos poucos. O homem que deixa que um líder determine seu percurso é um veículo amassado sendo rebocado para o ferro-velho." (Ayn Rand)

Sem comentários:

Enviar um comentário