segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

BOM DIA, ESTADO

Estado ausente, mas isso já não é mais nenhuma novidade. Estado onde seu governo, um anão parasita, e suas instituições, seguem incapazes de devolver em serviços, investimentos e dignidade, aquilo que expropriam por cinco meses de trabalho anuais do pagador de impostos. Estado onde é o povo pelo povo. E só isso. Estado com um povo altivo. Que precisa, no entanto, cobrar mais. Do estado.


"Não esqueçam que o que caracteriza o homem é a postura ereta, a mente intransigente, a capacidade de percorrer estradas infinitas. Não deixem que se apague o seu fogo insubstituível, fagulha por fagulha, nos pântanos do desespero do 'mais ou menos', do 'não é bem isso', do 'ainda não', do 'de jeito nenhum'. Não deixem morrer o herói que vive em suas almas, solitário e frustrado por nunca ter conseguido atingir a vida merecida. Examinem sua estrada e a natureza da sua luta. O mundo que vocês desejam pode ser conquistado: ele existe, é real, é possível, é seu." (Ayn Rand)

Sem comentários:

Enviar um comentário