domingo, 16 de janeiro de 2011

CAI A NOITE


Me assusta e acalma
ser portadora de várias almas
de um só som comum eco
ser reverberante
espelho, semelhante
ser a boca
ser a dona da palavra sem dono
de tanto dono que tem.

Esse Deus sabe que alguém é apenas 
o singular da palavra multidão
Eh mundão!
todo mundo beija
todo mundo almeja
todo mundo deseja
todo mundo chora
alguns por dentro
alguns por fora
alguém sempre chega
alguém sempre demora.
(Elisa Lucinda)

1 comentário:

  1. Choro para dentro para não ficar de cara vermelha. Ensinamento da avó não deixe que a últim lembrnça que alguém tenha de vc, seja um rosto todo inchado!

    ResponderEliminar