segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

CRIATIVIDADE, ESTRATÉGIA E MÁ FÉ


É incrível o "talento" dos editores de jornais e revistas, além dos sites e blogs websfera afora, para dar títulos às notícias. Os títulos são armas - e almas - essenciais nas publicações. É o que faz despertar o interesse do leitor. É preciso estratégia e criatividade para isso.

Alguns títulos são óbvios, outros são corretos, muitos sem a menor graça. Tem os apelativos que prometem um texto primoroso ou bombástico e quando você termina de ler vê que não era nada de mais. Tem os sem noção, que passam ao largo, mas muito ao largo, do teor do texto: esses são os ingênuos, que "erram" sem a má intenção nas entrelinhas.

Os piores pra mim, são os contraditórios, tão em moda no momento peculiar da historia destepaiz, com os governos da Idade das Trevas I, II e III. Parecem feitos para publicações como Planeta Diário, a coluna do Agamenon, Sensacionalista, afinal, todo tipo  de publicação que usa ironia e humor pra expor mazelas, falando uma coisa mas querendo dizer outra. O fato é que isso acontece em publicações que nada tem a ver com humor: são os mal-intencionados, encontrados aos borbotões em toda mídia genuflexa ao desgoverno. 

A falta de conexão entre o título e o inteiro teor do artigo ou matéria é, antes de tudo, um desrespeito ao leitor. O compromisso dos veículos tem sido, cada vez mais, com as verbas publicitárias oriundas, com abundância, das empresas públicas. Não com o fato, não com a notícia, muito menos com a verdade. E a isso dá-se o nome de desonestidade.

O leitor que tem apenas os grandes jornais de circulação nacional para se informar acaba se tornando um robô, imbecilizado, exatamente como sonham os detentores do poder de desgovenar estepaiz.

Ler um dou dois jornais e assistir a um ou dois noticiários na TV é cada vez menos suficiente para que o sujeito tenha informação de qualidade, e consiga, comparando e pensando por si só, ter uma visão do que acontece à sua volta, no nestepaiz e no mundo.


(Leia aqui: QUEM TEM, TEM MEDO)

5 comentários:

  1. Estepaiz é uma "piada pronta", que faz chorar.

    ResponderEliminar
  2. Ai daquele que fizer sua opinião calcado exclusivamente nos veículos de imprensa que aí estão. Venais e tendenciosos, induzem seus leitores e espectadores ao que querem dizer seus "patrocinadores".
    E aqui não confundir patrocinador com anunciante. Para uns trata-se de ser inserido no mercado competitivo, para os outros quer-se fazer impositiva sua necessidade de enganação.

    ResponderEliminar
  3. marcia190724/01/11, 17:27

    pois é, george clooney é que está certo: imprensa é para noticiar fatos e não para criá-los.
    mas na era da mediocridade, o óbvio também se mediocritazou.

    ResponderEliminar
  4. Rê,

    certíssimo seu comentário!
    Pena que a nossa "imprensa" esteja em porcentagem mto gde "a favor de", claro, aliada aos donos do cofre!

    Os jornalistas atuais, parece que não conseguem dar o "recado",a notícia, sem enfiar a torta colher que é na verdade, a sua opinião camuflada (e às vzs até escancarada!) É uma pena...

    Atualmente são poucos os veículos isentos! Alguns são tão tolos que se esquecem do ditado:
    "Quem com porcos come farelo,a eles se assemelha..."

    ResponderEliminar
  5. E o povo médio está à mercê dessas manchetes. Seremos, dessa forma, o país inculto, miserável e manipulável de sempre. Oh, sina!

    ResponderEliminar