quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

BOM DIA, ESTADO

Estado democrático, mas cujo anão parasita que o governa confraterniza publicamente com líderes das ditaduras mundo afora: Cuba, Coréia do Norte, Irã, China, levando de lambuja um ou outro déspota africano. Estado cujo governo na terceira geração da Idade das Trevas, abomina a opinião livre, critica quem ousa criticá-lo, censura Monteiro Lobato, proibindo a indicação de seus livros nas escolas, não tardará a lançar novos Planos Nacionais de Direitos Humanos com toda sorte de limitações ao indivíduo, à propriedade privada e à liberdade. Mas que, através da sua ministra da Cultura, mandou um recadinho ao Irã pela censura, naquele país, das obras do escritor Paulo Coelho. Levemente, para não ferir demais os brios do amigo atômico Ahmadinejad. Estado que, no entanto, jamais se posicionou contra a sentença de morte por apedrejamento de Sakineh Ashtiani, indo contra toda a comunidade internacional que defende os princípios universais dos direitos humanos e da Democracia. 

Bom dia, estado. De nós que defendemos sistematicamente a liberdade contra a censura. Quem quiser, que leia magos, alquimistas ou valquírias. Mas quem quiser que leia Visconde, Emília e Tia Nastácia. E que não morra ninguém, seja por apedrejamento ou por greve de fome em prisão por crime de opinião. Bom dia, estado.


"As pessoas ainda não entenderam que democracia é o que garante o direito de expressão, a liberdade para todos. Que é algo que está acima de gosto individual. Que ninguém tem o direito de proibir outrem de ler, ouvir, ver e falar, apenas porque o gosto deste é diferente do outro. O que me apavora é saber que este tipo de raciocínio é o ambiente ideal para que o arbítrio se instale." (Mirtes Guimarães)

Sem comentários:

Enviar um comentário