sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

FIM DE TARDE



Abro a janela, e de repente,
Vejo tumultuosamente
Um nobre corvo entrar, digno de antigos dias.
Não despendeu em cortesias
Um minuto, um instante. Tinha o aspecto
de um lord ou de uma lady. E pronto e reto,
Movendo no ar as suas negras alas,
Acima voa dos portais,
Trepa, no alto da porta em um busto de Palas:
Trepado fica, e nada mais.

Diante da ave feia e escura,
Naquela rígida postura,
Com o gosto severo, - o triste pensamento
Sorriu-me ali por um momento,
E eu disse: "Ó tu que das noturnas plagas
"Vens, embora a cabeça nua tragas,
"Sem topete, não és ave medrosa,
"Dize os teus nomes senhoriais;
"Como te chamas tu na grande noite umbrosa?"
E o corvo disse: "Nunca mais".

Vendo que o pássaro entendia
A pergunta que eu lhe fazia,
Fico atônito, embora a resposta que dera
Dificilmente lha entendera.
Na verdade, jamais homem há visto
Coisa na terra semelhante a isto:
Uma ave negra, friamente posta
Num busto, acima dos portais,
Ouvir uma pergunta a dizer em resposta
Que este é seu nome: "Nunca mais". 

(Edgard Allan Poe)

6 comentários:

  1. Um corvo é bem mais glamouroso, mas acreditem ou não desde ontem tem um pássaro enorme preto no muro de meu prédio. Acho que ele está machucado, não consegue voar.

    De qualquer jeito não gosto nada dele, e parece que ninguém gosta também, porque até agora nehum dos meus vizinhos tentou resgatá-lo.

    ResponderEliminar
  2. Lembrei que eu e mais duas pessoas postamos toda noite, durante dias, traduções diferentes dessa poesia no Noblat. Aquele blog já foi bem mais rico, cá entre nós.

    ResponderEliminar
  3. Blues, eu peguei essa tradução de Machado de Assis. E claro, só uma parte, o poema é extenso.

    Tem razão... dei uma assuntada por lá, hoje, arrisquei comentar no artigo do Sandro Vaia e na frase do dia, da dona Coisa. Para não variar, só tinha petista. E tão ocos, não deu nem discussão! Acho que não entenderam a provocação, hehe.

    ResponderEliminar
  4. Às vezes, raramente, vou lá lembrar dos velhor tempos...Mas foram-se.

    ResponderEliminar
  5. Verdade, assusto também.

    Já nos surpreendemos com amantes do totalitarismo nos lugares menos prováveis.

    Recebi respostas aos meus e-mails que exigiam de nós posturas mais "politicamente corretas", só por termos indicado o blog da Velvet! Ficaram assustados com a linguagem venenosa e nem tiveram a inteligência de se esquentar nesse veludo...

    Abraços amigos.

    PS - Amei a nova foto com o lindo Panamá no twitter. E, aí, quando sai uma exposição fotográfica da Velvet?

    ResponderEliminar
  6. Nossa, Casal! Não vá ganhar desafetos por isso, heim? rsrs

    Eu sempre digo que o Veneno Veludo é para iniciados na arte da ousadia.

    Obrigada por nos prestigiar sempre. Abraços aos dois.

    (A exposição de fotos já rola por aqui, no blog, mesmo. A maior parte das fotos é minha: atrás da câmera e eventualmente, na frente dela...)

    ResponderEliminar