sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

UM ESTADO DE TRUMAN



Sexta-feira é um estado de espírito. Desde que @maysaluz me ensinou isso, eu levo muito a sério. Pois neste atual estado de espírito, ando combinando, um tanto mais que o habitual, com Truman Capote. Sou fã. 

Escritor de língua afiada e provocativa, levou uma vida frívola, cheia de festas e muito luxo. Disse o que quis, da forma como quis, para quem quis. Sem dúvida, deve ser muito bom, libertador, poder viver assim, sem se preocupar com o quê, como, quando, onde e para quem dizer o que bem se entende.

Tinha três mansões, em Nova York, Long Island e outra na Suíça, era constantemente preso por dirigir bêbado. Tinha problemas com as notas na escola, sendo chamado de "retardado". Por isso, sua mãe o levou a um psiquiatra que afirmou ser ele um gênio, dono de uma inteligência diferente. Homossexual assumido, viveu por 25 anos com seu companheiro, não sem muita traição de ambos os lados.

Seus livros foram escritos em relatos de não-ficção, onde personagens existiam de verdade e outros eram fruto de sua imaginação. Alguns o consideram o criador do "livro reportagem", já que ele escrevia de forma a elevar qualquer reportagem à categoria de arte. 

Pesquisou por seis anos a história real de um crime ocorrido no Texas, onde dois homens torturaram e mataram uma família inteira, o que originou a obra "A Sangue Frio", um relato minucioso e impressionante do crime, da vida e das características das vítimas e dos dois assassinos. Assim como seu outro grande sucesso, "Bonequinha de Luxo", foi parar nas telas do cinema. Ele próprio foi biografado em alguns filmes, entre esses, "Capote", que conta o processo de criação de A Sangre Frio.

Truman Capote morreu de overdose de barbitúricos e álcool, aos 59 anos, em 1984.

Ousado e pretencioso, de sua língua venenosa saíram frases muito provocativas:

"Só os imbecis e os idiotas são felizes".

"A maioria das pessoas passa metade de suas vidas sem chegar a saber o que querem".

"O dinheiro não tem a mínima importância, desde que a gente tenha muito".

"Aquele que não imagina é como aquele que não sua: armazena veneno".

"Não me importa o que dizem de mim, desde que não tenham razão".

"Acabar um livro é como dar à luz uma criança e dar-lhe um tiro".

Por essas e outras, Capote pode ser como sexta-feira: um estado de espírito. Um estado de Truman. Provocativo, ousado, petulante, pretencioso. E com chapéu...

4 comentários:

  1. Jorge Atakardiac28/01/11, 14:06

    Adolescente ainda vi o Sangue Frio numa prateleira de casa e curioso dei uma folheada. Li de cabo a rabo sem parar.

    Vi o filme tb. Nem imaginava que fosse gay e afetado. Não fazia menor idéia de quem era o autor daquele livro doido.

    Boa lembrança. "só idiotas serem felizes" é ótimo. Qdo rola uma paixão fico assim mesmo, um idiota.

    ResponderEliminar
  2. marcia190728/01/11, 14:40

    menina, eu adoro o capote. amo seu deboche e sua língua ferina em um estados unidos conservador e hipócrita.
    e sim, a sangue frio é um marco do jornalismo. o livro de capote e o artigo de gay talese, frank sinatra está gripado" revolucionaram a maneira de se escrever para a imprensa.
    quanto capote, sexta-feira e veneno veludo tudo a ver. ironia, bom-humor e liberação total contra a mesmice e padrões que se querem impor.

    ResponderEliminar
  3. Esta sexta promete, Sinais de apoocalipse no Oriente Médio.

    Sextas podem ser é o encerramento de uma semana mas pode marcar um novo ciclo.

    Vamos ver o que as horas ainda nos reservam. Afinal é sexta-feira e faz calor no RJ.

    ResponderEliminar
  4. Adorei sua síntese sobre Truman!
    Mto bem feito e interessante,não?
    Gostei de conhecer um pouquinho sobre ele.
    Obrigada.

    ResponderEliminar