quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

ALGO A DIZER


DESEJOS EM CAIXA


Coloquei todos os meus pensamentos numa caixinha e tampei...tudo bem guardadinho, fechadinho. Dentro da caixinha estava lá muito bem escrito, em letras garrafais: não vou me apaixonar mais. Amor, nem pensar, vamos lá, muito trabalho, muitos projetos, um doutorado pela frente, uma casinha pra cuidar, viagens para fazer. Que vida gostosa, muito alegre, cheia de amigos!

Mas nada dura para sempre e um dia ele chegou. Dentre os amigos, ele veio, bem de mansinho, e eu abri a caixinha, mostrei pra ele todos os planos: nossa, que encanto! Os mesmos planos! Só que eu me enganei. 

Alguns meses depois, ele me perguntou: "cadê sua caixinha de desejos?" Eu logo respondi: "está guardada." "Hum, que bom, mas será que posso vê-la?" Peguei a caixinha e entreguei pra ele, num dia de brisa leve, suave. 

Ele abriu, balançou e jogou todos meus planos ao vento. Como borboletas, eles voaram, me assustei, gritei corri atrás, pedi que eles voltassem, afinal de contas, como puderam me abandonar assim? Como a racionalidade dos meus dias pode ir embora num passe de mágica? 

Corta! Meses depois, um amigo, me diz: "todo amor, toda paixão, deixa a pessoa idiota". 

Que bom! Estou então vivendo a idiotice dos sonhos felizes, dos dias coloridos. Hoje tenho certeza que planos guardados em caixinhas voam, um dia, quando as abrimos, e quando eles se vão outros vem pra completar. 

E que sem amor, ou mesmo sem qualquer paixão, não conseguimos sobreviver.


(Ilustração: Psyche Opening the Golden Box, de John William Waterhouse)

4 comentários:

  1. Caixas, eu as tenho, também. Não é só uma, são várias. Desejos compartimentados. Mas feliz de você, que já entregou a sua para que alguém a abra.

    As minhas, não seguem fechadas não. Mas só eu tiro o lacre das tampas, de vez em quando.

    ResponderEliminar
  2. marcia190703/02/11, 16:17

    a-mei o texto. é preciso ter muita coragem para deixar que outros abram a caixa. kibon que você conseguiu!

    ResponderEliminar
  3. Pensando, aqui: o que faz com que a pessoa não permita outra de abrir a caixa? Falta de talento para se entregar a esse ponto ou excesso de racionalidade?

    Uma coisa, imagino: deve ser bom, em alguma ocasião, perder o juízo.

    ResponderEliminar
  4. A veracidade com que descreves os desejos, os sonhos, as relizações, os planos, os anseios, a vida, os desejos... aaargh... cansei de ser prolixo... enfim vamos ao que interessa... Planos de vida nao se esvaem, sofrem alterações ou interrupções, agrupamentos ou perdas; a caixa está lá com todo o depositado, se estão imperceptíveis é porque tu assim desejou... A felicidade que sentes, a alegria de estar com alguém e este alguém esta contigo, é para poucos, mesmo muitos desejando isso, eu mesmo (confesso sim) sou um deles. no mais é viver, Arrependimentos é algo que só deve existir quando não houve o desejo e o realizar...
    Beijos e Felicidades sempre do seu amigo de ontem, hoje, amanhã e sempre!

    ResponderEliminar