quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

BOM DIA, ESTADO

Estado que tudo determina. Dita o que cidadão deve ou não comer e beber, qual remédio pode ser receitado, qual espetáculo "cultural" merece ser visto - por receber verbas estatais -  o que não se deve ler, ao censurar Monteiro Lobato, o que pode ser visto na televisão, qual a orientação sexual que as crianças devem ter. Impõe desde os altos impostos até o mínimo salário. 

Passada a discussão e votação simbólica de seu valor para vigorar durante o nono ano do desgoverno da Idade das Trevas, não falta quem proclame a eficiência política do desgoverno: imprensa genuflexa voluntária em êxtase. Não falta, ainda que em número bem menor, boas análises sobre o desempenho da oposição e os vexames dos sindicalistas que se entregaram, rendidos, à chantagem de manutenção de um ministério (leia-se PDT do Paulinho da Força) e alguns carguinhos de quinto escalão. Falta, no entanto, quem discuta a real necessidade de se ter um salário mínimo pré-estabelecido. Num estado livre, salário mínimo sequer existiria. É uma tese que te choca, estado? Quem te disse que queremos te agradar?
O nanosalário deveria ser extinto, porque se constitui uma invasão do desgoverno na liberdade individual de contratar. Racionalmente, o nanosalário dever-se-ia fixar apenas para fins previdenciários sociais, relação do estado com o segurado. Fora da relação previdenciária (estado x segurado), o ideal seria liberdade total de contratação e livre negociação entre empregadores e empregados. BSchopenhauer

4 comentários:

  1. Bom dia Regina querida.

    Vir aqui sempre, provar do doce veneno, sempre fortalece meu espirito. Não sem motivo, você me faz lembrar a lenda(?) ou história(?) do Rei Mitríades , rei em uma época (dizem que por volta de II a.c.)em que muitos venenos estavam sendo descobertos e testados em amantes, generais, monarcas, vizinhos, sogras(principalmente) etc, etc, etc...Fez um governo sábio e glorioso, mas mesmo assim o fantasma do envenenamento vivia a assombra-lo. Sua estratégia de usar escravos leais para provar sua comida e bebida funcionou por um bom tempo, mas teve um custo alto e cada vez foi ficando mais difícil conseguir escravos leais que estivessem dispostos a morrer pelo seu rei. Um dia eles mesmos poderiam fingir que bebiam e envenena-lo. Teve uma Ideia; Começou a ingerir pequenas doses de cada veneno dos mais utilizados na época, durante muito tempo, passando a aumentar as doses, pois sabia que assim também sua tolerância iria aumentar. Logo tomava jarros de vinho envenenado e nada acontecia.
    Assim tem sido. Cada vez eu passou aqui, me sinto um pouco mais imunizado pelas doses cavalares de venenos a que os petralhas expõem a oposição e o povo. Nos, com o Veneno Veludo ficamos mais fortes.
    .

    ResponderEliminar
  2. PS;
    nanosalário salário é ótimo. O caro amigo BSchopenhauer é Genio!!!

    ResponderEliminar
  3. Deci, fiquei emocionada. Ponto.

    ResponderEliminar
  4. marcia190717/02/11, 17:05

    agora "vamu" combinar que a petralhada só pinta e borda por que aqueles que, independente da classe social,há 8 anos recebem benefícios do goveno são seus maiores defensores e mantenedores.

    ResponderEliminar