quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

BOM DIA, ESTADO

Estado fagueiro. Lépido. Satitante, por saber que aqueles que fazem o desgoverno destepaiz têm, garantida,  maioria folgada para instituir qualquer investida contra a Constituição Federal. Portas em automático, estado pronto a alçar vôo em direção ao controle total da República Popular do Chiqueiro. A recente votação do nanosalário, com o dispositivo que permite sua indexação, por quatro anos, via decreto, foi só o termômetro para o que de muito pior ainda há de vir.

A versão III do desgoverno da Idade das Trevas nem precisará, para aprovar o que quer que seja, gastar suas taxas de sucesso com o aluguel de parlamentares, como acontecido na gestão do Expirado, via mensalão. O Congresso Nacional, como formatado pelas urnas, está absolutamente na gaveta dos Porquinhos. Uma magna caterva de servos, sem força sequer para infames negociatas diretas. Servem à alguns outros, esses sim, os espertalhões, que são tão poucos que se pode facilmente usar os dedos do Expirado para contá-los. 

A esquerdopatia é assim: abusa do discurso demagógico da democracia, mas é absolutista em sua essência. Como detém o monopólio da novilíngua, e faz desta muito bom uso, segue manipulando a ideia de que ser progressista é ser moderno, capaz. Convence que suas ações são pelo coletivismo, pelo bem de todos e felicidade geral da nação. E são poucos, raros, os que lhe têm acesso. Autoritários, pouquíssmos privam de suas reais fabulações. E são esses que saem com a missão de manipular os desavisados, sedentos por qualquer migalha, para engrossar o coro dos que lhes presta genuflexão.

E segue o país, sabemos bem para onde: inadimplência do crédito fácil propriciado pelo desgoverno para iludir felicidade à população subiu, taxa de juros no crédito livre subiu, o mínimo salário mínimo passa a ser indexado, e claro, o mercado reagirá a partir de agora para diluir o impacto do próximo "aumento". O Congresso, ao autorizar o PT a desgovernar por decreto infame, não só escancarou as portas para a instalação da ditadura do petismo, como traz de volta, via indexação do nanosalário, a velha conhecida dos brasileiros, a correção monetária. E assim, o gatilho da hiperinflação aponta para nossas cabeças.

Obra e graça do estado totalitarista, que subjuga aliados, desqualifica a oposição, e inutiliza a liberdade de imprensa, que, via de regra, é apenas mais um de seus prestadores de serviço.

Bom dia, estado. Boa tarde, estado. E durma, quem puder com tudo isso.


"Me disseram que se eu me posicionasse contrário ao PL poderiam me tirar da CCJ ou prejudicar-me por meios de emendas parlamentares, entretanto palavras assim não me amedrontam. Não posso trair minha consciência. Eu não posso ser situação, eu não posso ser oposição. Eu só posso ser Constituição." 
(Pedro Taques, senador do PDT/MT, ao anunciar voto contrário ao dispositivo que estabece o aumento do nanosalário por decreto.)



4 comentários:

  1. Ressalvadas as figuras dos senadores Pedro Taques, Itamar Franco, Demóstenes Torres e, em parte, Kátia Abreu; cujo embasamento dos pronunciamentos não deixaram a menor dúvida quanto à seriedade e a responsabilidade; e a uns tantos que aos trancos e barrancos se pronunciaram contra essa aberração; fica a vergonhosa postura da curriola que se ajoelha perante cargos ou ameaças do (des)governo.

    ResponderEliminar
  2. Sandra Sallee24/02/11, 19:29

    Dificil acreditar o que acontece no Brasil .Parece pesadelo .

    ResponderEliminar
  3. Até agora ainda estou em dúvida se fujo do país ou continuo na luta. Mas estou meio morta por dentro.

    ResponderEliminar
  4. Rê,
    fico pensando e abismada:será q essa cambada de subservientes não percebem que o feitiço vira contra o feiticeiro?

    Assim que a Nomeada do Expirado estiver c/ "a faca e o queijo na mão", eles podem dansar bonitinho!
    Daí então, eles serão descartáveis!

    Será que, com tanto "sábio" na política,ninguém vê o que vai acontecer?

    Pobre país o nosso...

    ResponderEliminar