quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

UMA TRANSIÇÃO



O Veneno Veludo pode ser um fórum de amigos: tem de tudo um pouco, e eles vem, e colaboram. É bom conviver com quem tem "ALGO A DIZER." 

Minha indignação com quase tudo que há por aí trafega em piloto automático. Não preciso fazer o menor esforço, ela se projeta com toda força, à superfície, e vai em qualquer direção. Tem vontade própria. Faço do Veneno Veludo  o ponto de partida, de parada, de pouso e de nova arrancada.

Daí, às vezes, entre um post indignado e outro que diz outra coisa, só fazendo uma transição, para não parecer uma praça de malucos (ou de uma maluca só: a Velvet).

Para uma transição, uma ponte entre uma margem e outra, nada melhor do que cantar. Canto para amenizar, mas isso vocês já sabem.
(Ilustração: Ponte, de Amadeo Souza-Cardoso)


Eu já fiquei como Erasmo
Sentado à margem das estradas
À espera de uma palavra da boca
Um gesto das mãos

1 comentário:

  1. Conheci este blog há pouco tempo, mas o legal dele passa por aí. Umas metralhadas merecidas na nossa 'crasse pulítica', em meio a lindos poemas, imagens e canções...

    E o melhor é que até as metralhadas são poéticas.

    :)

    ResponderEliminar