segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

VALENTINE'S DAY - LUCILENE


Hoje é Dia dos Namorados no hemisfério norte, O Primeiro Mundo. E como a alma, a essência, a vocação e as mentes pensantes deste blog são do tipo primeiríssimo mundo, o Veneno Veludo vai comemorar junto. Mas vai comemorar com a Lucilene.

Não tenho a menor ideia de quem seja essa pessoa. Não sei se existe na real, ou só existe na imaginação hiperativa de alguém. Fato é que uma criatura, supostamente caída de amores por uma Lucilene, deixa, para a digníssima, recados apaixonados neste blog, desde novembro, aquela data em que a Velvet contou a sua identidade.

O mancebo enamorado (supondo que seja um homem, nesses nossos tempos atuais, vai saber!), cujo meu rastreador indica a cidade, a conexão, o navegador e o sistema operacional que usa ao acessar o blog, registra ora mensagens sensíveis, ora sofridas, ora declarações explícitas de amor eterno à Lucilene. Ele ainda não entendeu que, se não as publiquei até hoje, não as publicarei, jamais. E segue escrevendo. O blog, que não é pombo-correio de "Correio Elegante", apesar de achar algumas frases até bem bonitinhas escritas pelo apaixonado rapaz, não cai nessa.

Parece que nunca ocorreu ao nobre enviar flores à sua amada. Bombons. Uma jóia, talvez. Ou tudo junto, sei lá. Tão fácil, hoje em dia, presentear alguém, mesmo que em outra cidade: internet resolve tudo! Flores, CDs, livros, champanhe, até lingerie, tudo de romântico se compra on line e manda entregar no endereço certo. Aliás, telegrama também pode. Não precisa do blog. Deste blog. Porque o de cujus poderia, inclusive, começar a escrever um blog para o alvo de sua paixão! Seria lindo! 

Mas tenho uma desconfiança, e é ela que me motiva a fazer esse post-desacato-desagravo: acho que a criatura - o moço, não a Lucilene - é esquerdista. Minha intuição, que não costuma me abanonar nessas horas, está praticamente certa disso. Por isso acabou minha paciência. Simplesmente não me sai da cabeça a hipótese do Don Juan do Pequi (ops, escapou de onde ele se conecta, sorry) faz isso por pura provocação. Comigo. Não com a Lucilene. Acho que é tudo mentira. Não há Lucilene alguma, é só uma aporrinhação, tosca, já que quem modera os comentários é esta que vos fala. Implicância pura para comigo.

Via de regra, esquerdistas detestam as coisas do primeiro mundo. Complexos enormes de inferioridade - e só pela condição de esquerdopatas já são, de fato, seres verminosamente inferiores - os levam a fazer de conta que desprezam toda e qualquer manifestação "imperialista". Então, pelo sim, pelo não, nesse Dia de São Valentim, o dia dos namorados dos norte-americanos e da elite branca européia de olhos azuis, eu faço essa pequena bondade. Rendo-me à minha porção Veludo, e cheia de dulcíssimo Veneno, dedico esse pequeno, singelo e romântico post a esse caso de amor.

Go, Lucilene, go! Se joga logo nos braços do seu Romeu!

Happy Valentine's Day!


(Desculpaê, gentes, a estética over. Mas o tema pede, vai...)
Obs.: 1) Algumas conexões, principalmente 3G, costumam enganar a gente: parece que "pegam" a rede de outro lugar, outra cidade. Mas basicamente, todas as vezes em que o Romeu  Romântico escreveu, foi da Terra do Pequi...
         2) Estou liberando os comentários apaixonados para a Lucilene. Ela merece.
      3) Recebi do Fábio, a medade do Casal 20, a foto aí abaixo. Para que não reste dúvidas sobre o "município Pequi". E ainda bem que computador não exala cheiro. Porque seria... bem, resumindo: eu detesto pequi.

12 comentários:

  1. Vc como sempre é uma menina boa. Porque estes seres que não yem nada para fazer a não ser atrapalhar a vida de quem trabalha e ganha a vida honestamente, deveriam na verdade receber castigo bem mais duro.

    Não conheço o município de Pequi mas com certeza, meste lugar deve residir um petralha. a população deve reconhecer: aquele indivíduo que vive na aba, deve todo mundo, mas tem um bom coração.

    Feliz Dia de são Valentin para essa craitura. Não sei se vai entender a ironia, pq petralha ;e meio burro, mas se precisar a gente desenha.

    ResponderEliminar
  2. Lembra aquelas rádios de quermesse: "De um alguém para você".
    Mas é uma missão humanitária que você adotou.

    ResponderEliminar
  3. Pequi é um fruto do cerrado, Carola, típico da região de Goiás, Me mata de rir com o "município de Pequi"...

    ResponderEliminar
  4. Sei não, vai que o sujeito manda uma granada pra Lucilene, seja ela quem for. Deixa o pavo gastar a paixão dele...
    Mas como hoje tb se comemora tb o dia da amizade, aproveito para renovar a minha à dona do blog, que mais um pouco, chega aos 10 anos. (a amizade, ô da Lucilene!)
    Mega beijo, Blues

    ResponderEliminar
  5. Valentine´s Day petralha? Eis uma novidade que bate corações. Romance com viês ideológico é isso aí! Mas não espere flores, muito menos champagne. Internet facilita a vida dos enamorados sim, tudo isso nao viria embrulhado em uma bandeira vermelha no PT , não é mesmo?

    ResponderEliminar
  6. Emoção!!! Sim Lucilene, estou emocionado. Te Amo, Amor!!!

    ResponderEliminar
  7. Dri, será que a Lucilene merece uma bandeira do PT? Tadinha....

    ResponderEliminar
  8. Blues, você me conhece. Isso basta para saber a minha reação às suas palavras, qual foi.

    Que comemoremos os 10 anos! (De amizade, viu, ô, da Lucilene!).

    ResponderEliminar
  9. marcia190714/02/11, 15:08

    gente, o negócio é o seguinte, mesmo que o romeu seja um petralha, é um petralha inteligente e criativo. e só por isto merece sim uma bitoquinha da luciene... (rs)
    aliás, a vevelt também merece flores, chocolates etc pelo texto delicioso

    ResponderEliminar
  10. Pode mandar as flores, os chocolates, etc, Marcinha! Internet, lembra? hehehe.

    Ah, e olha, é porque não é você quem tem que moderar os comentários, viu? É chaaaato....você acha que é algo sério e lá vem Amor, Lucilene.... rsrs.

    ResponderEliminar
  11. marcia190714/02/11, 16:51

    kkkkkkkkkkkk
    e a luciene já deu sinal de vida?

    ResponderEliminar
  12. Querida Regina.


    Poema ao menino de pequi, ao pequi do menino
    Do pequi do menino, do pequi pequenino

    Havia um pobre menino tosco
    Tão bobo quanto nunca vi
    Perfume azedo e rançoso
    Com cheiro de pequi.

    Desconhecido em toda rede acima de tudo
    Queria sempre provar do mais doce veneno
    Imaginando-se sempre em meio ao suave veludo
    Aparvalhado, bronco, petralha e pequeno.

    Assim seguiu o menino insone
    Querendo um dia ser amado
    Vivendo intensamente a fome
    Sonhando em um dia ser postado

    ResponderEliminar