terça-feira, 29 de março de 2011

CAI A NOITE


"Noites loucas! Noites loucas! 
Estivesse eu contigo
Noites loucas seriam 
Nosso luxuoso abrigo!

Para coração em porto 
Ventos — são coisas fúteis 
Bússolas — dispensáveis 
Portulanos — inúteis! 

Navegando em pleno Éden 
Ah, o mar! 
Quem dera esta noite
em ti ancorar!"
(Emily Dickinson)


1 comentário:

  1. Adoro esses poemas com um quê de sensualidade sem ser profano.

    Obrigada pelos deleites noturnos. A gente dorme preenchido de todos os quês necessários.

    ResponderEliminar