segunda-feira, 25 de abril de 2011

FIM DE FOLGA: É A POLÍTICA, ESTÚPIDO!


Feriadão é sinônimo de folga, descanso, lazer, passeio. Nestepaiz desprovido de infra-estrutura, traduz-se em horas intermináveis parados nos congestionamentos nas estradas, na ida, e na volta. E infelizmente, morte. Sair de viagem em feriadão significa candidatar-se a virar estatística. Por enquanto, o estado de São Paulo foi o único a divulgar um balanço de mortes e acidentes em suas rodovias estaduais, 41 mortos e mais de 1.500 acidentes. Isso no estado que tem a melhor malha viária. Ainda não saiu o balanço da Polícia Rodoviária Federal. Mas quem acompanhou o noticiário durante todo o feriado, leu, todos os dias, sobre graves acidentes, muitos com ônibus, onde o número de mortos e feridos é sempre maior.

Falta tudo: educação do condutor (e ações públicas voltadas para isso), fiscalização adequada, estrutura de pessoal e instrumentalização das polícias rodoviárias, investimento em manutenção das estradas, e punição aos imprudentes. Punição severa. 

Quem sobreviveu ao tumulto e às tragédias nas estradas, começa sua semana de trabalho com a ameaça do desabastecimento de combustível. Um presentinho de dona presidente e sua incompetente equipe econômica, que, se tivesse cabeça para bater, é o que estaria fazendo. Nem no gogó tentam segurar a inflação, então, o jeito é brincar de morto,  apostando na falta de gasolina nos postos, no consequente aumento do preço do litro nas bombas, e assim, justificar as altas que já vêm ocorrendo, mesmo que os ministros botem suas caras-de-pau na imprensa (aquela, de sempre, genuflexa voluntária que não questiona, não aponta, não apura, não mostra a verdade dos fatos) alegando que dona presidente não quer que haja reajuste. O desabastecimento de combustíveis é a desculpa perfeita para a alta dos preços e as mentiras do desgoverno das Trevas.

Se você conseguir abastecer seu carro, ou ainda, utilizar os precários serviços de transporte público, pode ir aos postos de saúde vacinar-se contra a gripe, campanha iniciada hoje. Rezando para que as vacinas, desta vez, não estejam vencidas, como ocorreu com o Tamiflu comprado com sobrepreço e taxas de sucesso via família abençoada de dona Erenice, a faz-tudo de dona presidente quando era a gerentona da Casa Civil.

Não tendo problemas com a vacina, lembre-se de que essa é a última semana para acertar suas contas com o imposto de renda. Não deixe de fazer tudo direitinho, pois há cerca de 182 milhões de brasileiros nestepaiz que vivem dos recursos oriundos da boca do caixa do estado, mantido pela minoria de impostuintes, cada vez mais achacados pela absurda carga tributária desse estado obeso. O financimento dos cargos públicos disponíveis para o aparelhamento da companheirada e de aliados (des)contentes do PT, depende diretamente dos impostos pagos por gente que trabalha de verdade.

E por falar em companheirada, a semana pode mostrar a reação à briga intestina por que passa o PT, com um dos seus manda-chuvas, Ricardo Berzoini, ameaçando, via imprensa, contar tudo o que sabe sobre tudo o que sabemos que há de podre na história do partido no governo.  Essa é uma guerrilha interna que existe desde sempre, mas pela competência dos dirigentes petistas (coisa que não ocorre em outros partidos) raramente vêm à tona, em público. É disputa de poder - e recursos públicos, por óbvio. Uma velha história: não se deixa um peixe morrer afogado. Porque o dom do silêncio não é como gripe, que dá em qualquer um. Pessoalmente, aposto naquilo que publicamente chamarão de "diálogo e entendimento", mas que sabemos bem, será acordo e negociata: Palocci autoriza umas poucas concessões de benesses do poder para Berzoini, ele se aquieta, e tudo fica como dantes. Além do mais, como bem lembrou Maropomo, Berzoini sabe muito bem o que significam as pás que o PT tem guardadas.

Como ninguém é de ferro, no fim da semana, vamos nos esquecer de tudo isso, porque o mundo - e nós, que adoramos uma pompa e circunstância - será entorpecido pelo casamento de Willian e Kate, desnecessário esclarecer aqui de quem se trata. A vida é bela, um conto de fadas. É tudo o que precisamos para sermos bem felizes. Diante da beleza da princesa, quem se lembrará do dragão da inflação? Como reza a cartilha esquerdopata, pão, circo e felicidade coletiva.  

3 comentários:

  1. Excelente resumo das trevas que imperam nestepaiz.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Bom dia:
    Na quinta feira tive a curiosidade de olhar o blog da Ponte S.A. que opera a Rio-Niteroi, prá ver as câmeras on line. Um espetáculo. A semelhança com a foto que ilustra esse post é enorme.
    Isso se repetiu Brasil afora, uma vez que em todos os estados a situação das rodovias é caoticamente igual.
    Até aqui nas raríssimas estradas que temos. A travessia nas balsas (enquanto a ponte de R$ 1,2 bilhão não fica pronta, as filas consumiram até 6 horas de espera.
    Mas acho que o Ó do borogodó foi a falta de combustível. Que coisa de louco.
    Até escrevi sobre isso na Tribo: A Arábia Saudita dos Trópicos.
    Contas a pagar, mas com orgulho. Boa semana a todos seus leitores.

    ResponderEliminar
  3. Sighs! Conversando com um amigo muito experimentado na vida, inclusive na política ele me disse: 'Não perca seu tempo. Este país jamais se acertará. O povo não quer.' E como ninguém é mesmo de ferro, o dueto é maravilhoso. Vou começar a treinar o conselho do meu amigo.

    ResponderEliminar