sexta-feira, 22 de abril de 2011

NÃO SER CRISTÃO NESTEPAIZ


Há não muito tempo, a experiência de viver uma Sexta-Feira Santa era reclusão, oração, meditação, comedimento de palavras, pensamentos, gestos, além de não se realizarem atividades as mais corriqueiras como varrer o chão de casa, lavar e passar roupas, usar faca para cortar alimentos etc.

Tempo diferente, no qual ser Cristão era praticamente um fato natural para os brasileiros. Nascia-se sendo. Além de consubstanciar um feixe de valores positivos pessoais, familiares, sociais, que, se não eram plenamente alcançáveis, senão pelo próprio Cristo, Nascido e Renascido, representavam um norte transcendente.

Hoje, parece que muito da naturalidade e dos valores positivos de ser Cristão esvaíram-se, na “modernidade” dos costumes, das ideologias, como também nos mais prosaicos afazeres do dia-a-dia, nas preocupações com a sobrevivência material, nos deleites materiais, pura e simplesmente.

Como efeito, atualmente, quantos brasileiros não reduzem a experiência de viver a Sexta-Feira Santa a comerem peixe, caírem na estrada com os seus veículos adquiridos a prestações a sumirem de vistas, aprazerem-se com o feriado prolongado? Isso, na melhor das hipóteses.

Na pior hipótese, aqueles valores positivos pessoais, familiares e sociais que constituíam a naturalidade e a experiência de ser Cristão dos brasileiros, são, simples, ordinária e sistematicamente desprezados, atacados eliminados da vivência. Em seu lugar, entronizam-se a falta de valores, as novas práticas, e os novos costumes destepaiz e do seu respectivo "povão".


Arquivo do autor: 



Look into my eyes
You will see what you mean to me
Search your heart, search your soul
And when you find me there

You'll search no more
Yes, I would fight for you!
I'd lie for you!
Walk the wiire for you!
Yes, I'd die for you

9 comentários:

  1. Infelizmente estas religiões mais novas que o whisky que eu bebo (palavras do Reinaldo Azevedo) transmitiram para o Cristianismo a falta de valores que é própria dos humanos. Relião, fé, Deus, Jesus, tudo virou parte de um comércio barato, onde podemos barganhar bençãos divinas em troca de boa remuneração.

    ResponderEliminar
  2. Nesses modernismos em que cada um cuida de si e a lei do menor esforço é a única lei, até o jejum da Sexta-Feira da Paixão foi amenizado. Ouvi ontem de um católico altamente assíduo que comeria normalmente porque o bispo havia liberado. Os 40 dias de jejum de Jesus no deserto já nada mais dizem aos neo-cristãos. O relativismo esquerdista chegou à Igreja.

    ResponderEliminar
  3. Sinto falta da minha adolescência, até o início dos anos 90 (quando já não era mais adolescente...). Até a Igreja era diferente.

    ResponderEliminar
  4. As religiões, com todo o respeito a quem professa qualquer que seja a fé, se perderam diante o ímpeto de seus seguidores. Estamos a viver o mundo medieval. Todos os dias alguém é herege e outro santificado. Esta guerra por fiéis entre as religiões, e dentro delas, abala a fé.

    ResponderEliminar
  5. Vc tem razão,Schopenhauer!

    Para tristeza de mtos cristãos, a Semana Santa resume-se agora em ... pé na estrada,passeios, descansos e a terrível corrida aos mercados para comprar o indefectível "Ovo de Páscoa"!

    No aspécto espiritual,ficou um vazio,um buraco,qdo se pensa em práticas religiosas em família!

    Onde e quando aconteceu a ruptura?

    Quem e quando introduziu o Ovo como um dos maiores referenciais da Semana Santa?

    O pior é que a gente não vê nenhuma perspectiva de uma "volta" ao passado,pelo menos no sentido espiritual,antes que a Religiosidade dos povos se perca para sempre!

    ResponderEliminar
  6. marcia190722/04/11, 18:48

    infelizmente a realidade é que o nascimento/morte/ressurreição de cristo virou boa desculpa para o lazer e uma fonte de renda para o comércio e indústria.
    agora papai noel e coelhinho da páscoa são os principais figuras.

    ResponderEliminar
  7. Infelizmente a mudança de valores não está somente em nosso país, a desvalorização de princípios cristãos é um problema mundial, que aliás são poucos os que acham isso um problema, a busca pelo prazer instantâneo é o que da rumo às suas vidas, sem se importar com o próximo.

    ResponderEliminar
  8. Concordo, infelizmente...não só os valores cristãos estão demodê, os éticos e morais tb. Minha filha foi convidada p/um churrasco em plena sexta-feira santa...acham normal, uma pena...

    ResponderEliminar
  9. O Amor Crístico não está na religião e sim na essência de cada ser humano e que foi se perdendo com o passar do tempo, dando lugar ao individualismo, ao egoismo e o desprêzo total ao próximo.

    Marisa Cruz

    ResponderEliminar