terça-feira, 12 de abril de 2011

DESARMAMENTO: A UM PASSO DA TIRANIA

自由, آزادی, свободы, freiheit, vryheid, la llibertat, wolność, freedom...
Liberdade, a mais magnífica expressão humana, em qualquer idioma! (BSchopenhauer)



A liberdade, assim como a vida, são valores absolutos. Se relativados, deixam de ser valores essenciais. Liberdade e vida são pressupostos, e não fim, da existência do indivíduo. 

Num estado democrático de direito, não caberia, por não ser necessária, a discussão sobre liberdade e leis. A primeira é garantida, incondicionalmente, pela segunda, em qualquer democracia amadurecida.

No Brasil transformado nestepaiz, no entanto, não apenas discute-se leis e liberdade, como discute-se a criação de leis que, sob o pretexto de o estado precisar proteger (tutelar) o cidadão, faz-se necessário o cerceamento de suas liberdades individuais. Supostamente, em nome do bem comum. Nada mais é, isso, do que a raiz de um estado totalitário.

Num estado sério de uma democracia saudável, ainda que jovem, governo que usasse tragédias humanas como o massacre ocorrido na escola de Realengo, no Rio de Janeiro, para implantar as teses do programa do partido de seus governantes, teria, só para começar, o repúdio da imprensa - que num estado sério de uma democracia verdadeira, seria livre para questionar, e não apenas reprodutora de releases da propaganda oficial, emprenhada pela gorda verba publicitária governista.

Num estado sério de uma democracia pujante, um governo nada sério como o destepaiz jamais encontraria guarida para a defesa de uma legislação que caminha justamente contra o homem de bem, o cumpridor das leis, o honesto, em detrimento de não apresentar políticas públicas para coibir o verdadeiro crime e punir, aí sim, o criminoso, o bandido, o assassino, o psicopata, o crime organizado que trafica drogas e armas, as ilegais, que continuarão circulando e matando o homem de bem, então sem o direito de se defender.

Num estado sério de uma democracia vigorosa, ainda que jovem, não seriam discutidas medidas que desfavoreçam a liberdade individual, aquela que deve ser garantida pela lei, e não o seu contrário: regras legais para desarmamento da população só trarão benefícios para o crime organizado. Um deles: inflacionar o preço das armas no câmbio negro, que são contrabandeadas pelos criminosos, sem qualquer repressão efetiva por parte do desgoverno destepaiz. 

Num estado sério, de uma democracia engendrada na mente pensante - caso houvesse incentivo à formação de mentes pensantes - do cidadão, este seria capaz de se definir livre, e cada um, junto de cada um, por si, formariam uma sociedade livre, onde punido seria o crime, não a honestidade. A liberdade, aí sim, seria garantida por lei, e não impedida por ela. Porque a isso, dá-se no nome de tirania. 

Arquivo:

(Inscrição na pedra: "Lute e lute novamente, até cordeiros tornarem-se em leões." 
Cena do filme Robin Hood)

Sem comentários:

Enviar um comentário