sábado, 28 de maio de 2011

CAI A NOITE


Aclamações 
dentro do edifício inexpugnável 
aclamações 
por já termos chapéu para a solidão 
aclamações 
por sabermos estar vivos na geleira 
aclamações 
por ardermos mansinho junto ao mar 
aclamações 
porque cessou enfim o ruído da noite 

a secreta alegria por escadas de caracol 
aclamações 
porque uma coisa é certa: ninguém nos ouve 
aclamações 
porque outra é indubitável: não se ouve ninguém 

Mário Cesariny

Sem comentários:

Enviar um comentário