terça-feira, 31 de maio de 2011

CAI A NOITE



Eu não resistirei à tentação
não quero que de mim mais uma vez
possas pensar no que perdeu
por perder-te na ilusão
de resistir ao abrigo meu

Eu não resistirei à tentação, 
de quando me procuras, entregue à razão
que só minha sede, ao dela beberes
faz-te renascer na fonte
de poder, sucumbir à minha paixão

Eu não resistirei à tentação,
ao contares, em silêncio acanhado,
que apenas meu sim te assalta, e sim
sabes bem, saber que me adonas,
apropria-te do meu corpo, calor assanhado 

Resistirei a te chamar de paixão,
a te alçar em palavras, ao paraíso
aquele que buscas, conheces, desejas
mas não resistirei à tentação
de devolver-te, saciado, teu riso

o brilho dos teus olhos eu pedi
e fitando-me, do espelho, me deste, mais

E sem a ti resistir, prevendo, mais
Eu sorri.


4 comentários:

  1. Amei. Roubaste minha alma por um segundo....e foi lindo!!
    Inspiração maravilhosa...sensualidade que transborda. Demais!! ^^
    Escreve, Regina...tá cada vez melhor!!

    ResponderEliminar
  2. Valeu o incentivo, Sonia! Qualquer hora, deixo a resistência de lado e passo a publicar, mais...

    ResponderEliminar
  3. O pensamento voa...
    Terás público cativo,como eu,sempre.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. Regina! Vou procurar um lugar na primeira fileira de cadeiras do seu público cativado!

    Parabéns! Belo!

    Fábio.

    ResponderEliminar