quarta-feira, 11 de maio de 2011

NOVILÍNGUA, FRONEMOFOBIA E O CONTROLE SOCIAL DA UNDERWEAR

Nestepaiz, o desgoverno está ocupado em administrar a vida de cada indivíduo. 
Não lhe sobra tempo para as obras de interesse público. (BSchopenhauer


O Brasil transformado nestepaiz acaba de submergir algumas milhas rumo ao fundo do poço, em matéria de intervenção do estado na liberdade individual. O desgoverno das Trevas III resolveu legislar sobre a roupa íntima que o brasileiro deva usar

Parece roteiro de programa humorístico. Mas é verdade, verdadeira. O projeto, se sancionado pela presidente, inaugura a entrada das cuecas e calcinhas na era da novilíngua esquerdistamente correta, ao determinar que as peças íntimas devam conter avisos sobre prevenção de câncer de próstata, de colo do útero, de mama, e da necessidade do uso de preservativos como medida de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. 

O filósofo gaúcho Denis Rosenfield, uma das vozes mais potentes em defesa da liberdade individual,  que alerta: a intromissão do governo na vida privada é uma afronta aos brasileiros e uma ameaça à democracia.  A lei que estabelece regras para confecção de roupa íntima é um exemplo do que Denis afirma:  "Nossos deputados e senadores estão sendo, aos poucos, usurpados de sua função de legislar.  Eles estão se tornando servos de uma legislação administrativa, criada por órgãos estatais e não via  projeto de lei. Também é preciso prestar atenção às  afrontas cada vez mais recorrentes à liberdade de imprensa. A Anvisa tentou proibir a publicidade de cigarro,  de bebida e de alimentos. Parece inofensivo,  mas sem publicidade a imprensa se torna dependente  do governo, o que compromete a liberdade de expressão. Isso  sem falar no direito de propriedade, cada vez mais fragilizado." E pronto! Está estabelecida a ditadura da cueca com função social!


Desde antes da eleição dessa continuação do desgoverno Lula, nós alertamos para a sanha totalitarista do partido aboletado no Palácio do Planalto, cujo único objetivo é alcançar a dominação do estado e da sociedade, por consequência, dos indivíduos, para obtenção de altíssimos (e capitalistas) lucros. Falamos quase todo dia em defesa da garantia dos direitos individuais ante a poder total do estado em tutelar cada cidadão. O estado decide o quê, quanto e quando não podemos comer. O remédio que não podemos tomar (supondo que consigamos atendimento nos hospitais do SUS). As bebidas que não podemos consumir. Os livros que não podemos ler. O sal, açúcar e adoçante que não podemos consumir. Como não podemos educar nossos próprios filhos. Temos a liberdade de escolha apenas para aquilo que o estado já determinou como regra. Ele tem a liberdade de nos comandar, nós temos a opção única de obedecer - é disso que se tratam essas leis.

A minha fobia acerca do totalitarismo das cavalgaduras que desgovernam estepaiz é grande. Mas não tarda, o estado também legislará sobre quais fobias não podemos ter. A fobia que o desgoverno das Trevas deseja que todos tenhamos, já está decidida: é a fronemofobia: o medo de pensar.

Com a presente lei que cria a underwear com responsabilidade social, as tais cavalgaduras trazem um big problem! Qual terá de ser o tamanho da calcinha capaz de conter o aviso a importância do uso de preservativos como forma de prevenção do câncer de colo de útero e da realização periódica, por todas as mulheres com vida sexual ativa, de exames de detecção precoce dessa doença”? E, cavalheiros, as cuecas não se livraram dessa.

Preparem-se. A depender do estado brasileiro, todos voltaremos ao século 19, no tempo em que "roupa de baixo" eram ceroulas. 


10 comentários:

  1. hehe
    O índio aqui vai ter a companhia dos cara-pálidas de volta às ocas.
    Brincadeiras à parte, essa corje logo logo, vai empurra o povo de volta às cavernas. Se é que já não não são do Eike.

    ResponderEliminar
  2. Em tempo: escrevi sobre os outdoors íntimos também, mas como a agenda da tribo hoje já tinha umas coisas programadas, deixei na agulha prá amanhã.

    ResponderEliminar
  3. Como fica quem não usa cuécas, ficará exposto ao contágio ou a falta de tratamento dessas doenças?

    Quem usar essas cuécas terá preferência no atendimento nos postos do SUS?

    Alguém já disse e não há como negar, "eçepaíz", se jogar uma lona em cima vira circo.

    ResponderEliminar
  4. Dyrceu Pessoa11/05/11, 22:24

    Alguém já leu 'no caminho com Mayakovisk'?! Preocupante ser um texto da época da ditadura militar e irônico esta sendo atual num governo em que boa parte lutou contra a ditadura. Ou não. Deelma queria era tomar o poder a época... Isso que eh persistência...

    ResponderEliminar
  5. "subliminar propaganda das vantagens da homoafetividade": Parei de ler ali. Não aguento preconceito.

    ResponderEliminar
  6. Concordo com tudo, em GNG. Só corrige por favor, o nome do Dennis, "Lerrer Rosenfield", para que ele possa ficar BEM conhecido. É das poucas cabeças livrepensantes que ainda escreve nos jornalões.
    E vc., continue nos brindando com sua ótima visão dos fa-c-tos!
    Abs.
    Rombudsman

    ResponderEliminar
  7. Velvet Poison12/05/11, 11:38

    William, também não aguento preconceito! Por isso defendo até a morte o direito de quem não gostar nem um pouco de ver os seus impostos usados para o sustento da militância que é paga para patrulhar a opinião de quem não tem a mesma opinião.

    Que bom que você não é um desses, e defende que todos têm direitos iguais. Direito até mesmo de dizer o que pensa.

    Que bom que você não é um desses que, sustentados pelos repasses do desgoverno à "entidades sem fins lucrativos", redigiriam um comentário na tentativa de intimidar, cassando o meu direito de expressar, redigir e publicar a MINHA OPINIÃO NO MEU BLOG.

    Por pessoas como você é que eu ainda tenho fé na humanidade!

    ResponderEliminar
  8. Velvet Poison12/05/11, 11:41

    Luis, me senti tão mal ao publicar seu comentário! Não poderia fazer isso com você, não depois de você declarar que tem preguiça de ler, pensar e escrever.

    Valeu a tentativa, companheiro. Falou de Reinaldo Azevedo porque lhe faltam colhões para comentar lá, achando que aqui teria palco?

    Aqui, não, violão! Procure sua turma, devem estar todos reunidos no Nassif.

    ResponderEliminar
  9. Velvet Poison12/05/11, 11:49

    Valeu, Rombudsman, corrigido.

    ResponderEliminar
  10. Sergio Nogueira12/05/11, 12:41

    Difícil mesmo, é acreditar que estamos no século XXI e que sob a capa de um falso moralismo, tenhamos que engolir este tipo de Lei retrógrada que interfere nas escolhas do contribuinte. Estes Ptralhas e toda a corja que os acompanha deveriam estar mais preocupados com a ética com que se (des)governa este Paíz.
    Parabéns pelo excelente texto e pelo interesse de lutar por um País melhor.

    ResponderEliminar