terça-feira, 7 de junho de 2011

CAI A NOITE


Olhos: 
brilhantes da chuva que caiu 
quando Deus me mandou beber. 

Olhos: 
ouro, que a noite me contou nas mãos, 
quando colhi urtigas 
e fiz arrepender as sombras dos Provérbios. 

Olhos: 
noite, que sobre mim resplandeceu, 
quando escancarei o portão 
e atravessado pelo gelo invernoso das minhas fontes 
saltei pelos lugares da eternidade. 

Paul Celan

1 comentário:

  1. This is so sweet....

    Sempre leio, mais de uma, vez todos os belos poemas postados aqui.

    Obrigada Regina!

    ResponderEliminar