terça-feira, 21 de junho de 2011

CAI A NOITE



Até agora, vida.
Um olhar, uma passada. Rápida, um encontro, um desencontro.
Até agora, briga.
Um desabafo, uma indignação, um desalento, um suspiro.
Até agora, visão.
Uma imagem, uma sugestão, uma impressão, uma ilusão.
Até agora, sentido.
Um poema, uma mensagem, uma reflexão, uma descoberta.
Ofensa, carinho. Amizade, adversidade.
Ser, estar. Haver, rever. Detestar. Ater. Atar, possuir. Devolver. 
Amar. 
Cólera, alegria, irritação, decepção, surpresa. Certeza.
Saudade. Descoberta. Fuga. Lágrima. Confidência. Coerência.
Até agora, nada.
A partir de agora, nada. Mais. Nada.
Vivemos, viajamos, recolhemos, aprendemos, sofremos, sorrimos, sentimos.
Despedimos.
A partir de agora, esquecemos.
Salto no escuro, dentro, escuro...


(Na foto, Cesar Castro, para mim, o melhor do Brasil, um dos bons, no mundo, em saltos ornamentais)

1 comentário: