domingo, 5 de junho de 2011

É DOMINGO


A suposição de que a identidade de uma pessoa transcende, em grandeza e importância, tudo o que ela possa fazer ou produzir é um elemento indispensável da dignidade humana. 

Só os vulgares consentirão em atribuir a sua dignidade ao que fizeram; em virtude dessa condescendência serão «escravos e prisioneiros» das suas próprias faculdades e descobrirão, caso lhes reste algo mais que mera vaidade estulta, que ser escravo e prisioneiro de si mesmo é tão ou mais amargo e humilhante que ser escravo de outrem. 

Hannah Arendt

1 comentário:

  1. Bela reflexão para um domingo de inverno!
    Parabéns e obrigado por compartilhar!

    ResponderEliminar