sábado, 18 de junho de 2011

O NEGÓCIO É MARCHAR

Marcha (mar.cha) sf.
1. Ação ou resultado de marchar, de caminhar
2. Trajeto que se percorre a pé; JORNADA
3. O modo de andar, quanto à velocidade, sincronia etc. 
(marcha acelerada/cadenciada); PASSO
4. Manifestação na qual um grupo percorre a pé um trajeto, 
demonstrando ou reivindicando algo
5. Procissão, cortejo (Caldas Aulete)



Marchas abundam nestepaiz que o PT erigiu no lugar do Brasil. Há marcha para todo lado, para todos os paladares, tatos, olfatos e et ceteras. Em tempos de democracia, trocou-se "passeata" por marcha, o que não faz o menor sentido, de qualquer forma, pois se há liberdade democrática, precisa marchar em seu nome? 

Há toda uma geração perdida, sem objetivo, sem fundamento, rasa, sustentada pelos pais até os 30 anos, e depois, sustentada por algum movimento social respectivamente sustentado pelo estado, que nem percebe que não exerce liberdade de coisa alguma. Vai sendo tocada. Tangida. Em tempos de união da erva organicamente esquerdista, é um rebanho de vegetais, comandado, sempre, por um vermelho esperto.

Agora, que o alto prócero Supemo Tribunal Federal deu um jeito de ignorar a Constituição em nome da ideologia esquerdista, apologia ao crime virou liberdade de expressão. Como a corrente de pensamento esquerdistamente onanista prega a exigência dos direitos para que ninguém mais tenha deveres, invado meu palmo de terra nesse latifúndio fecundo de ideias revolucionárias, exerço o meu direito de libertar minha expressão dos grilhões do totalitarismo. E marcho.

A sensação que tenho é que os Honoráveis do Vestidão Preto e Babador de Renda já marchavam contra a Constituição há tempos, sem que ninguém percebesse. Vou começar por eles, marchando pelo Saudável Direito ao Pé na Bunda. Nós, marchantes, entramos com o pé e as Excelências do Egrégio Tribunal, com a bunda. Cada qual com a sua respectiva. 

E que ninguém, jamais, em tempo algum, ouse dizer que cometo algum crime, ou falta de respeito que o valha, por minha liberdade de expressão. O próprio STF afirmou que falar sobre não é fazer o dito.  Apologia ao chutaço  na bunda de todos eles, membros daquela Corte, não é, necessariamente, meter o pé nos respectivos e nobres asses. Para ficar bem bonito, devem botar o babador de renda na bunda, que nem aquelas calcinhas de criança, de antigamente. Bunda Rica. E a marca do cravo da chuteira nela.

Vamos marchar! Está na moda, e ainda é possível levantar fundos oficiais para tanto. ONGs e OCIPS esquerdistamente democráticas financeiramente, colhem recursos do estado para organizar as ditas. E se, a exemplo do José Rainha, o organizador for pego pelos costumeiros desvios de recursos, usa-se o pleno direito à #LiberdadeDeExpressaoContabil. E fica tudo bem.

O BSchopenhauer disse que organizará MARCHA CONTRA A PROIBIÇÃO DAS CANTIGAS DE RODA. Com a liberação da fumaça maconheristamente esquerdista nestepaiz, é bem possível que essa marcha ganhe adeptos, que, com  neurônios embotados, não saberão sequer o que estarão, lá, fazendo. Vão pensar que é festinha de Cosme e Damião, e que haverá farta distribuição de doces, ao final. Larica, sabem como é... 

BSchopenhauer também pensa em convocar uma MARCHA PELA SUBMISSÃO destepaiz à Lei e à Ordem. Essa, imagino, não terá muita adesão e nem vou comentar mais... 

Deixe aí sua sugestão. Quer marchar contra ou pró o quê?

3 comentários:

  1. Eu quero a "Marcha do Spray de Pimenta"... mas essa o S_PT_F não vai liberar. O voto dos Batmans é sempre bem "baseado" e bem alinhado com os interesses do Executivo.

    @Filonescio

    ResponderEliminar
  2. Lembrei de imediato das calcinhas de renda que minha irmã odiava quando era pequena.
    Mas acho que cairiam bem em suas inçelenças supremacortiais, pela babação que aplicaram em seus votos tanto no caso das marchas em geral, quanto no querido hóspede, e agora credor, Battisti.
    A imagem das ovelhinhas comandadas por um vermelho é ótEma.

    ResponderEliminar
  3. Tô rindo até agora, Schophenhauer é 10.

    Marcha pela liberação da Cannabis é uma das coisas mais ridiculas que podem ocorrer ao humano. Sou muito mais o Slutwalk...faz mais sentido na minha vida atualmente.

    Voltando ás marchas, sim marcharia a favor de bons salários dos funcionários publicos da saude, acabando com a disparidade entre funcionário "federal","Estadual" e "Municipal". O doente é o mesmo e as condições de o tratar são os mesmos.


    Lunarscape !

    ResponderEliminar