terça-feira, 9 de agosto de 2011

CAI A NOITE



Caem
os cabelos encaracolados
como água ao vento

olhar
de quem pensa tudo
saber
e nada temer

ao redor
olhares ferinos
cheiros e sabores aguardam
a presa
num falso olhar de quem observa
a vida calmamente...
         pelo retrovisor

Carlos Alberto Pessoa Rosa

Sem comentários:

Enviar um comentário