sábado, 6 de agosto de 2011

#PRONTO FALEI!


Sexta-feira à noite o Saia Justa foi no ponto certo. Dan “como ele está ficando bonito” Stulbach propôs que todos revelassem algo quer gostassem e tinham vergonha de assumir. Rindo, Camila Morgado contou que é fácil pegar os “intelectuais da cultura brasileira”, basta no quase final da festa colocar um cd do Roupa Nova . Basta um mais alegre começar a cantar que todos o acompanham com, dependendo da música, direito a mãozinha para o alto.

E ela tem razão. Depois de incontáveis passeatas por liberdade, acabamos nos rendendo ao, digamos, “intelectualmente correto” que é pior do que o intelectual de mesa de bar. Este poderia passar horas discutindo Godard, Hemam Hesse ou se a venda de Guevara era um sinal ou não de fraqueza da esquerda frente ao “capitalismo selvagem” que tudo bem. A questão maior era discutir e filosofar não colocar alguma ação em prática. Mas o “intelectualmente correto” não. O objetivo dele é criticar e menosprezar todo aquele que ouse dizer algo a favor de Paulo Coelho, do Wando ou dos filmes tipo sessão da tarde.

Sucessor daquele que torcia o nariz para as novelas, este pessoal nem percebe o quanto de fascista que é. Por outro lado, este “intelectualmente correto” está tão enraizado que ninguém percebe sua presença e assim o aceita passivamente. Exagero? Nananinanão. Já percebeu que uma casa no campo é sempre bem vinda, mas uma na rua, na chuva ou na fazenda deve ser demolida em honra ao bom nome da MPB. E Dan Brown? O homem vendeu milhões de exemplares do Código da Vinci no Brasil, mas se você perguntar, “imagina, não leio subliteratura” ou algo assim, será a resposta.

A classe “pensante” brasileira simplesmente finge que não tem um lado Wando ou que nunca curtiu grupos como os “Menudos” ou Gengis Khan, seja o original alemão ou o “genérico” brasileiro. Se você acha que estou exagerando, faça um simples teste no twitter: a brincadeira do #prontofalei, escrevendo algo tipo “Eu gosto de Fogo e Paixão.#prontofalei. Em segundos lerá tipo: você está brincando?!!!!! ou indiretas como “tem gente que usa o twitter para besteira”. Eu canso de fazer isto e a @hildamedeiros, sempre aparece para se divertir também. E as críticas a quem comenta uma partida de futebol ou o BBB? Sempre tem um que escreve que enquanto se faz isto o governo vai aprontando impunemente.

O interessante é que a maioria das “broncas” vem de pessoas que militam dia e noite contra o projeto do PT de amordaçar a imprensa. Sim o militante do “intelectualmente correto” se acha acima de tudo um livre pensador democrata que gosta de levar “sabedoria”, “política “ e bom gosto a todos. Ou seja, quase um missionário da cultura. Sua arrogância não permite que ele perceba que é tão antidemocrata quanto qualquer ideologia de direita ou esquerda que queira implantar o pensamento único. Agora, com licença, que eu vou ali ao Youtube escolher um vídeo legal para comemorar o aniversário da Regina com uísque e agogô em uma casinha de sapê...


Mirtes Guimarães, a jornalista mineiroca que traduz o cotidiano como ninguém.


Arquivo:
O AMOR ROMÂNTICO DO SÉCULO XXI


10 comentários:

  1. AimeuJesusCristinho.... é post pra abrir confessionário? Vamos lá.

    - Não gosto de novela. Não tem jeito. Esse direito à ranço intelectual que seja, ninguém me tira (mas conheço intelectual de verdade, do tipo FILÓSOFO, SACA, que grava reprise de O Rei do Gado). Mas assisto Ana Maria Braga porque adoro o tal do Superchefe.

    - Samba, eu gosto de tudo, na sambolândia. Devo ter nascido em Madureira, vivido em Vila Isabel e cantado na Lapa em outra encarnação, tudo junto ao mesmo tempo.

    - Prestenção que isso é importante: li todos os livros de Dan Brown, inclusive os que ninguém conhece e não fizeram o menor sucesso. E gostei. Desses, em particular.

    - Assisto blockbusters e torço o nariz pra todo filme metido a ser de arte, porque não quero cinema para me fazer pensar, pra isso já tenho o trabalho e os jornais, todo dia. Quero pra me divertir.

    - Bebo batida de gengibre, lá no Belmonte. Umas 12 por noite, né, Marcinha? Cê viu...rsrs.

    Chega com as confissões, por hora. Senão o choque da "audiência" periga ser grande demais.

    ResponderEliminar
  2. Qué sabê ? #prontogostei

    JotaCe

    ResponderEliminar
  3. Uma, que vai acabar comigo, mas enfim... Em baile, casamento e formatura, não perco a chance de dançar "Borbulhas de Amor", de rosto colado, com o CEL.

    ResponderEliminar
  4. Por isso que de tempos em tempos corre uma onda de "brega chic"... Demônios reprimidos.... FORA !!!
    Muita gente que dizia curtir TEATRO DE ARENA na década de 60, não saia do TEATRO DE ALUMÍNIO na Praça das Bandeiras...
    Quem não viveu a época... Sorry !!!

    ResponderEliminar
  5. Odeio novelas e BBB. Confesso que sou enjoadiiiiiinha! Mas detesto mais do que tudo o politicamente correto. ODEIO!

    ResponderEliminar
  6. Oxe...Comigo não tem disso não. Se alguma coisa me incomoda, seja música, texto, frase, vozes; eu faço uma overdose do lado contrário e pronto. Empata e fica tudo bem. Posso até cantar Roupa Nove, agora esse negócio de dançar Gengis Khan e virar mãozinha é demais. Aí tô fora. rs rs

    ResponderEliminar
  7. pelo duros critérios da "intecetaulidade"brasileira sou uma besta. Amo René Descartes, junto com a champanhe das pucas coisas boas produzidas na França da Iguaité (eca). Arranho até um alemãozinho mas confesso que não entendo p nenhuma de Hegel, e não sou Kantiana, sou Houseana. E acima de tudo odeio MPB! Com força! Sou garota punk, rock and roll brit pop

    ResponderEliminar
  8. Carol
    o problema não é gostar de coisas como descartes e champanhe e sim querer enquadrar e ocultar o lado brega. E foi contra isto que houseanamente escrevi

    ResponderEliminar
  9. Eu não tenho esses problemas. Quando gosto, gosto mesmo.
    Tiro sarro e rio de mim mesmo. Vou levando.
    Na calada da noite encaro um feijão com arroz, regado ao azeite, e um ovo frito em cima. Lembro do tempo que era pobre numa nice. Entro e botequim para uma média e pão com manteiga, com direito a mergulhar o pão no café.
    Pronto, agora a Velvet me desembarca do Blog.

    Conversa de desconhecidos no meio da rua, pra mim, não fica sem final. Atravesso rua, pego ônibus, metrô, entro em elevador, tudo para saber o desfecho. É mole!

    ResponderEliminar
  10. Tô com a Caroline e não abro, MPB, Axé e funk jamais. :) MAS me divirto até em velório !

    Lunarscape.

    ResponderEliminar