quinta-feira, 22 de setembro de 2011

NÓS PENSAMOS: DA VERDADE E DE VERDADE



Aprovada na Câmara dos Deputados a criação da tão desejada - pela esquerda politicamente mentirosa - Comissão da Verdade. Com um leve alento, garantido pelo DEM, do impedimento da participação de parciais membros com ligações partidárias e/ou cargos públicos por indicação política. Passará ainda pelo Senado e não se pode afirmar, por hora, que ela não será reconfigurada conforme os interesses do desgoverno da Idade das Trevas. Falaremos dela, da Comissão, muito ainda. Sempre, daqui para frente, enquanto durar e depois também, certamente.  Quanto à Verdade, sempre falamos sobre ela, e com ela. 

Verdade é valor, faz parte daquele conjunto ético que pessoas de bem carregam consigo. Aonde quer que estejam, o que quer que façam, na profissão que tenham, na forma como conduzam qualquer fragmento de instante de suas vidas.  Desistir da verdade é tentador, por vezes, porque lutar para mantê-la, absoluta e firme, não é tarefa fácil. Mas a gente segue falando:

Verdade só pode ser uma: verdade. Nestepaiz, até agora, na Idade das Trevas que mergulhamos, a verdade oficial surgiu, se manteve, cresceu e está entronizada no ideário popularesco pelo imenso talento da esquerda petista em propalar mentiras bem vestidas, bem penteadas e maquiadas com primor. Vamos à verdade oficial. Se pudéssemos falar só da verdade, bom seria. Defendê-la, como valor base para o aprimoramento de nossa ainda muito frágil democracia. E bom seria se tivéssemos a disposição de buscar a verdade sobre as mentiras petistas, responsáveis pela transformação do Brasil nestepaiz. Justamente a disposição que nos falta para admitirmos que nenhum desses políticos da verdade petista chegou aos cargos por ordem divina ou vindos de Plutão. Se existe uma verdade, é esta: foi com nosso voto - ou com nossa omissão - que todos eles foram eleitos.  [Yo] 
Existem várias formas de se defender e propalar a verdade. Nenhuma delas é a mentira. Com a mentira, o precipício: em todos os momentos que o Brasil está numa encruzilhada, entre o bem e o mal, invariavelmente, deixa-se tanger pelo segundo. E o povo gosta. As pessoas preferem a mentira contada com "amor no coração". Com ela tornada mantra, a esquerda de boutique pretende criar o "homem ideal", destruindo o homem que existe. As ações humanas dever-se-iam pautar em princípios e valores, entre quais se ressaltam a honestidade, a dignidade, a verdade. Existiam duas formas de alcançar a verdade: a fé e a ciência. Nestepaiz, originou-se a terceira: a expiração. O desgoverno da Idade das Trevas possui inato sadismo pela mentira, transformada em instrumento de eternização destepaiz. [Ben Schopenhauer]

Arquivo: NOSSAS VERDADES:

Sem comentários:

Enviar um comentário