terça-feira, 25 de outubro de 2011

CAI A NOITE


Sou o último em tua estrada
A última primavera a última neve
A última batalha para não morrer

Hei-nos mais baixos e mais altos do que nunca.

Temos tudo em nossa fogueira
Maçãs pinhas sarmentos
Mas também flores mais fortes que a água

Lodo e orvalho.

A chama está sob nossos pés a chama nos coroa
A nossos pés insetos pássaros homens
Voarão

Aqueles que voam pousam.

O céu está claro a terra está sombria
Mas a fumaça sobe aos céus
O céu perdeu todo o seu brilho

Seu lume ficou na terra.

A chama é a névoa do coração
E todos os ramos do sangue
Ela canta nossa ária

Ela dissipa o vapor do nosso inverno.

Noturna e horrorizada ardeu a tristeza
As cinzas floresceram alegres e belas
Damos sempre as costas ao poente

Todas as coisas têm a cor da aurora.

Paul Eluard

Sem comentários:

Enviar um comentário