sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A ENTREVISTA

Por Denilson Cicote

O funcionário do governo examinava agora aquele rapaz simples, boa cara e aparentemente  de boa índole. Como membro do ParTido e do governo, isso não o impressionava. Conhecia companheiros que fariam velhotas devotas ajoelharem-se as seus pés e rezarem como a um santo antes de levar todos os seus bens para “distribuir aos pobres”.

- Pode me passar o CIC e o RG?
- Pronto, tá aqui doutor.
- Trouxe o atestado de antecedentes?
- Claro, está bem aqui, diz, passando nervosamente o papel de folha única ao entrevistador.

O funcionário analisa  preguiçosamente, fita a folha como se fitasse o nada. O entrevistado começa a suar. Qualquer um que entrasse naquele momento saberia que seu pensamento era: “putz, fudeu....”
O entrevistador parecia não notar. Os segundos arrastavam-se. Finalmente disse:

- Isso aqui no atestado, esse processo ...

O rapaz parecia que ia começar a chorar a qualquer momento.
- Isso foi um caso de um nome igual ao meu. Um hormônio, seu doutor...
- Homônimo...
- Isso mesmo, fui preso numa blitz, com a minha moto, estava tudo certo mas um policial disse que eu tinha de ir com eles até a delegacia, que eu era procurado.
- E do que te acusaram?
- Me acusaram de um monte de coisas, doutor, e eu não sabia o que falar pra eles, mostravam um papel cheio de um monte de coisas horríveis, assalto, briga em bar, bater em mulher, roubar casa lotéricas e bancos, trabalhar de jagunço, passar os outros na conversa, nos golpes do vigário,  mas eu juro que não tinha nada a ver com aquilo, seu doutor!, falava o rapaz em um rompante de emoções, quase às lágrimas, como somente um homem honesto e indignado poderia reagir.

- Juro por tudo que é sagrado..
- Calma, respire e fique tranquilo.  E como foi que escapou? Ou quer que eu acredite que simplesmente te deixaram ir embora?
- Foi quase isso, doutor, eu fiquei lá insistindo que era inocente, eles me apertando, empurrando, e um dos policiais queria até me dar uma surra. Disse que eu tinha atirado num amigo dele, que por sorte não morreu. Ele mostrava a ficha e o nome, mas por Deus que há no céu, entrou um outro policial e disse;” Não é ele não, podem soltar, o meliante foi preso pela manhã na minha patrulha. Infelizmente foi solto em seguida pelo advogado. Parece que vamos ter sorte se não formos processados por abuso de autoridade.”

O funcionário, interessado, perguntou;
- Então, como foi que isso ficou aqui na sua ficha?
- É que o policial ficou bravo com a perda de tempo e  fez B.O. de direção perigosa, mas juro que eu tava devagarinho, seu doutor...
O funcionário, com um sorriso maroto:
- Ei, estamos sós nós dois aqui, pode abrir o jogo.
- Juro pela minha mãe que nunca fiz nada errado, disse desesperado, pois precisava muito daquele emprego.
- Tá, que seja verdade tudo isso, mas você já deve ter roubado algo certo?
- Doutor, o senhor me ofende assim. Minha mãe me ensinou a nunca roubar, vou na igreja, sou tranquilo doutor, e isso tudo eu ensino pro meu filho.
- Então você não rouba?
- Não, doutor.
- Não briga?
- Não, doutor.
- Nunca matou ninguém?
- Não, doutor.
- Não passa golpes?
- Não doutor!

Com cara de desânimo o funcionário disse:
- Olha, infelizmente acho que você não serve para o cargo.
- Mas seu doutor, juro que nunca fiz nada errado, não bebo, nem fumo! Isso tudo foi um mal entendido.
- Meu filho, o mal entendido é todo seu. Se por acaso você fosse o outro cara, o emprego estava garantido. 
Parou de falar ante o olhar atônito do rapaz, e perguntou à queima roupa:
- Escuta, não te disseram onde o seu “hormônio”(disse com deboche) morava? Se arrumar o endereço dele te vejo um servicinho de porteiro em uma mansão de ministro...


Denilson Cicote é o @deci_cote, que fala de "humor e política na medida certa e às vezes na medida errada, já que o homem é a medida de todas as coisas."


Arquivo: 

8 comentários:

  1. O Pais se tornou o paraiso das inversões de valores...

    Lunarscape

    ResponderEliminar
  2. O que aparentemente se trata de um conto, é um relato de entrevista real ocorrida num certo partido de um certo país tropical. Genial.
    OBS: Daquelas coincidências que vez em quando acontecem: a palavrinha aqui de baixo é MENTE rs rs

    ResponderEliminar
  3. É bem o retrato do que se tornou este país de PTralhas...

    ResponderEliminar
  4. HAHA
    Excelente. Sempre digo que, para entrar no partido iMundo, é requisito um processo nas costas pelo menos.
    Excelente!

    ResponderEliminar
  5. Jorge atakardiac21/10/11, 14:50

    Grande mestre do humor sócio político.
    " e como foi que escapou?"
    Aí está o pulo do gato, tem que ser esperto, ser malandro do contrário é otário. Não serve.

    Se malandro soubesse como é bom ser decente, seria decente só por malandragem.

    Gde abraço Decicote

    ResponderEliminar
  6. opcao_zili21/10/11, 15:18

    Perfeita a sua entrevista para um cargo num certo lugar da AL. rss
    A que ponto chegamos, meu amigo >>> barbarismo total. Conseguiram acabar com a moralidade, infelizmente. O que vc descreve, é a pura verdade, quando se procura um cargo ( ou filiação) em "certos lugares")

    ResponderEliminar
  7. Era entrevista para algum ministério... Entendi.

    ResponderEliminar
  8. Caros amigos.
    Agradeço as amaveis palavras de incentivo, mas acreditem, eu e sei que todos nós gostaríamos escrever coisas boas sobre nossos governantes. Infelizmente, eles não tem colaborado. Infelizmente também, e isso ouço todos os dias, o senso comum é que chegou ao poder e se corronpe. Tendo essa opinião tornada parte da nossa paisagem politica, acaba anestesiando a todos, pois a corrupção é um fato dado antes mesmo das pessoas assumirem seus cargos.

    ResponderEliminar