quarta-feira, 9 de novembro de 2011

CAI A NOITE


Hoje tu me dizes
- Estão daquele jeito.
Mas é à noite que teus olhos
Realçam teu olhar de ouro
Que colhe meu olhar que foge,
Escapa, corre. Não olhes...
- Por isso desviavas teus olhos"?
- Por que verias o que tu já sabes? Não.
Não queria que os teus dourados
Soubessem como ficam os meus - quase negros
Úmidos. Não da chuva, que agora não cai.
No reflexo das lágrimas, tu encontrarias bem viva
A palavra que posso com franqueza
Escrever e descrever tranquilamente
Tão bem e  tanto bem tu sabes,
Como tanto bem tu dizes - Fazes-me bem.
Repousa agora, teus olhos dourados!
Que os meus escuros seguem nesta noite
De saudades dessorados.

1 comentário:

  1. na escuridão dos olhos que a saudade reluz mais forte.
    Um abraço!

    ResponderEliminar