quinta-feira, 10 de novembro de 2011

CAI A NOITE



Nada 

nem o branco fogo do trigo 
nem as agulhas cravadas na pupila dos pássaros 
te dirão a palavra 

Não interrogues não perguntes 
entre a razão e a turbulência da neve 
não há diferença 

Não coleciones dejetos 
o teu destino és tu 

Despe-te 
não há outro caminho 

Eugênio de Andrade

Sem comentários:

Enviar um comentário