sexta-feira, 11 de novembro de 2011

CAI A NOITE


Quando todos já disseram adeus
Você fica sozinho consigo mesmo.
Você arranha a superfície.
Você tenta se aproximar do céu.

          Você despenca do céu. 

          Você se machuca na queda.

As nuvens estão velozes
As grades enferrujadas do portão
Se fecham à sua frente, às suas costas
Você não vai a lugar algum.

          Você mergulha sozinho consigo mesmo 
          Arranha a superfície

Você tenta e tenta novamente emergir
Encontra navalhas nos degraus.
Você despenca dos degraus.
Você se machuca na queda.

          Então apenas, escuta o vento.

2 comentários:

  1. Quando as cortinas se fecham, é que desempenhamos o papel de nós mesmos...

    ResponderEliminar
  2. Eis uma verdade, Will. E desse momento, em algum momento, nenhum de nós escapa. Mas a introspecção e a dor do auto-conhecimento são necessárias. Bom dia!

    ResponderEliminar