domingo, 11 de dezembro de 2011

É DOMINGO: A CONQUISTA DA HONRA


Conquistar a honra não é senão revelar as virtudes e os valores do homem, sem desvantagens; porque alguns procuram e solicitam a honra e a reputação, mas nas suas ações deixam muito a desejar; tais homens são daqueles a respeito dos quais se fala muito, mas que no fundo ninguém admira; outros, pelo contrário, escurecem as suas virtudes na aparência, para que sejam sobrevalorizadas na opinião. Aquele que leva a cabo uma coisa que nunca tinha sido tentada antes, ou que tinha sido abandonada depois da tentativa, ou realizada em melhores circunstâncias, ganhará com isso maior honra do que se tiver efetuado uma coisa de maior dificuldade, ou de maior mérito, em que tivesse já havido um precursor. Se um homem regula as suas ações de maneira a satisfazer em algumas todos os partidos ou agrupamentos, maior conceito de elogios haverá de obter. 
Mau gerente da sua honra será aquele que empreenda uma ação cujo insucesso lhe possa causar desgraça maior do que a glória que lhe adviria do sucesso. A honra que é recebida e que vai quebrar-se sobre outrem é a que tem mais brilhantes reflexões; como os diamantes talhados com várias faces. Por isso deve o homem esforçar-se por ultrapassar os seus êmulos em questão de honra, e, se puder, atirar mais longe com o mesmo arco.  
(...) A inveja, que é o cancro da honra, é bem aniquilada pelo homem que declara ambicionar mais o mérito do que a fama, e atribuir os seus êxitos mais à providência divina e à felicidade do que às próprias virtudes e habilidades.  
Francis Bacon, in 'Ensaios'

Arquivo:
OLHAR E CHORAR Pe. Antônio Vieira 

Sem comentários:

Enviar um comentário