domingo, 22 de janeiro de 2012

É DOMINGO - DE QUE VALE A SABEDORIA

 Passai agora em revista, ó louco sábio, todas as noites e infinitos dias em que a inquietação crucifica a tua alma. Olha bem para todos os aborrecimentos da tua vida e tenta compreender, enfim, de quantos males eu liberto os meus loucos. Acresce ainda que não só passam o tempo em divertimentos, risos e canções, como levam a todos os que os rodeiam o prazer, os seus jogos, o divertimento e a alegria, como se a indulgência divina os tivesse destinado a afastar a tristeza da vida humana. Além disso, quaisquer que sejam as disposições de uns para os outros, todos os reconhecem como amigos; procuram-nos, adoram-nos, acarinham-nos, gostam de conversar com eles, permitem-lhes que tudo digam e tudo façam. Ninguém os tenta prejudicar e os próprios animais ferozes evitam fazer-lhes mal como se instintivamente os soubessem inofensivos. Estão, com efeito, sob a proteção dos deuses e sobretudo sob a minha égide, rodeados pelo respeito universal.
Erasmo de Roterdã, in "Elogio da Loucura"

1 comentário:

  1. Pegou uns textos fortíssimos hoje minha querida amiga. Por isso é sempre bom passar por aqui.
    AH: como sempre comento a palavra de checagem aí de baixo: OGGIE

    ResponderEliminar