sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

CAI A NOITE


Chega, sem aviso toma corpo
Brinda-me com teus sorrisos
A banhar todas as horas do dia
Traduz em ventura passadas dores de nostalgia
É este o papel singular - Da Alegria

Aos poucos, em mim se permitindo
Toma-me tal a brisa fresca da madrugada
Empresta a luz clara da alvorada
Conduz sossego lânguido à anervia prostrada
É esta a altivez da alegria - Persistindo

Ergue-me, sem temer a escuridão
Carrega-me com a força rápida de um raio
Recolhe o rascante espinho da solidão
Presenteia de certezas leves o coração
É este o prazer da alegria - Amplidão



"A noite inteira farei ela gargalhar Dizendo coisas que até mesmo Deus duvida
Aí então quando ela se apaixonar...."

1 comentário:

  1. Tudo muito lindo. De cima prá baixo: os origamis, a poesia e a canção.

    ResponderEliminar