quarta-feira, 28 de março de 2012

CAI A NOITE

Quis-nos o tempo
sem perdão e sem disfarce
Atar-nos juntos, os dois
Tempo que sem mais não finge
Não nos espera - buscamo-nos
Enlaçados.

Que ninguém nos peça
Aquele andar certo
A marcar-nos hora, aos dois
Temos o tempo de quem traz na mão
A doçura de nada ter a regatear
Não há pressa - entregamo-nos
Apaziguados.

Dias feitos sem caprichos do tempo
preenchidos, sem vazio;
Só do que chega ao fim, se corrompe
Se temos do tempo profundos sentidos

Pensamentos, carinhos, cuidados,
O tempo todo dia - principia-nos
Eternizados.

Flutuamo-nos - pelo tempo, por nós
Encantados.

(Ilustração: Love, de Gustav Klimt)

Sem comentários:

Enviar um comentário