quinta-feira, 22 de março de 2012

DIÁLOGO COM A OFENSA



Você me conhece? Então deve saber que sou pessoa que lê Luiz Felipe Pondé e nunca, mas nunca mesmo, Roberto Shinyashiki. Meu "herói" na TV é Dexter Morgan, e corro com a velocidade do Usain Bolt a distância de uma maratona, para ficar bem longe de qualquer galã bonitinho mas ordinário, de novela. Considero que pimenta é essencial em qualquer refeição - até no café da manhã - e não tenho nenhum vício porque não admito nada que seja mais forte e venha dominar a minha razão. Sem mais delongas, se me conhece, deve saber que eu não sou de meias mentiras (porque não existem meias verdades). Falo o que eu quero, como eu acho que devo - e se eu não quero, não falo . Então, sigo ao ponto e de antemão, informo: não continue a ler se gostar de covardia, porque se é que você me conhece, aqui não a encontrará.

A comunicação é minha área, e não é de hoje que nada do que diga respeito à ela, senão o tempo todo, ao menos em algum momento, cruza seu caminho com os caminhos da internet. Sempre na defesa intransigente do direito à liberdade de expressão, firmo posição contra todo tipo de manifestação de censura na internet. Na web, a Liberdade, esse Bem acima do bem e do mal, mais do que nunca, faz valer a velha frase que determina que a dita cuja pressupõe responsabilidade. Se você me conhece, já sabe que é bem aqui que o bicho pega, minha nega! Porque se você me conhece, sabe que eu creio que responsabilidade não é gripe, que dá em qualquer um. E quem não tem, não me engana. 

Internet é como Las Vegas, só que ao contrário: "o que acontece em Vegas, fica em Vegas", em segredo... Em qualquer canto, pedaço, lugar do universo www, também é assim: o que acontece na grande rede, fica na grande rede. Se você me conhece, não preciso explicar o que significa "ao contrário de Vegas". 

Você é do tipo que ataca na rede, sem filtro. Gruda em algum(a) desavisado(a) cheio(a) de boas intenções limitado intelectualmente, e também naquele(a) sobre-avisado(a) carregado(a) de péssimas intenções, ocultadas geralmente por uma fina estampa, e uma polidez sistemática que não passa de uma máscara burlesca. Se você me conhece, sabe que quem te aponta essas coisas - eu - reconhece tais características de longe. E sim, não tem a menor paciência com amadores que se metem a não sê-lo, mas assim me julgam. 

Quando você se propõe a ir contra qualquer um, atacando-lhe sua moral, sabe muito bem que, ao lançar ali na internet, ficará na internet. Mas escolhe mal seus agentes, querida! E a burlesca máscara não resiste a uma boa... investigação. Se você me conhece, sabe que darei um exemplo, então, vamos abrir algumas hipóteses? Vejamos, uma pessoa que seja um tipo de divulgadora sua... sem critérios, te joga para bons e maus, indistintamente, porque precisa "se amostrar", por neurose e/ou vingança, então, phoda-se a injustiça, e usa os seus recursos para "qualificar", adjetivando pejorativamente o alvo do momento, quem esteja com vontade de detratar. É, bem isso aí, calúnia, injúria, difamação e que tais... Ponto, volta a linha, parágrafo. 

Imagine então que, para você "pegar", precisa justamente ser usada pelo tipo pessoa que mascara suas vidas virtuais como portadora da "ética". Agora, imagine quão constrangedor que essa pessoa seja alguém com segredos inconfessáveis, e se mete a ameaçar quem não tenha segredos inconfessáveis? Pode me usar como exemplo! Sirvo bem. Se você me conhece, sabe que não tenho segredos inconfessáveis. Aqui "é só mistério não há segredo" e nem um, nem outro, não estão disponíveis à revelações porque... me dão orgulho. Ahã! Apenas faço mistério do que é muito bom na minha vida. E se tiver que contar, conto. E aí, sorry periferia, você exercerá o seu sagrado direito de se matar de inveja. 

Agora, Imagine se tal máscara burlesca sobreviveria, vamos seguir no campo da hipótese, em uma pessoa "doente" por cobrar de todos a sua moral e ética, mas que tenha deixado pela internet coisas que soariam como... deixe-me escolher algo incomum... altas defesas e elogios de fidelidade a alguma coisa, ou pior, alguém notadamente conhecido pelo melhor estilo "não tenho escrúpulo"? Eta, pêga! Que vergonha, heim?! Porque é algo que precisa ficar muito escondido, fala sério aí! 

Pois é. Você navega serelepe por aí, feia, pesada e solta, dando em tudo que é cerca, caminhando e cantando e seguindo a canção, feliz da vida porque tudo o que você faz na internet fica na internet. E você, via gente irresponsável, pretende que a sua vítima fique para sempre julgada, condenada, sentenciada e punida, ainda que inocente. Mas as rabiolas de quem você usa também estão para sempre na web. Não adianta ir lá no provedor e deletar. Nem o Google, aquele sujeito sabidão, não mostrar. Se você me conhece, sabe que eu sei, e mais, sou metodicamente organizadíssima! Clap, clap, clap, códigos, caches e print screen. 

Mas se você me conhece, mesmo, sabe que eu que não tenho papas na língua, estou segurando este nosso diálogo há meses! Porque o dom do silêncio também não é catarro, que gruda em qualquer peito. Só os bons sabem tê-lo. Por isso, e creio que você me conhece, lembre-se: não provoque os bons. Se você me conhece, não preciso completar a frase, é aquela de Nelson Rodrigues, que diz o que há nos bons. 

Se você me conhece, sinta-se muito, muito, imensamente, cheia de tudo o que você propaga, porque é exatamente isso que faço com você, agora. Com grande prazer, espero que interprete cada palavra do que eu te disse, com a sua própria natureza. E se você me conhece, sabe que não convém ameaçar, nem de brincadeira, as pessoas que me são caras. E se você me conhece, sabe que tenho dito, e me despeço. E sabe muito bem como me despeço de você. 

Keep out! E que o inferno te acolha, dona Ofensa! 


Arquivo:
DIÁLOGO COM A VONTADE

10 comentários:

  1. "Porque o dom do silêncio também não é catarro, que gruda em qualquer peito. Só os bons sabem tê-lo. " Clap, Clap,Clap
    Quando crescer quero escrever "igual que nem" você!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marcinha... o silêncio que dá em mim é de cum força. Fica, fica, fica. Mas quando eu me espalho, ninguém me junta! (Mentira, rsrs, tem pessoa que consegue me juntar rapidinho hehe) Jocas!

      Eliminar
  2. Excelente texto!
    Perfeito instrumento de legitima defesa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta pessoa nasceu sob o signo de Leão, e ainda conta com um lobo faminto dentro dela. Meu conceito de legítima defesa é defesa legítima. Aos meus, a quem me é caro, raro, importante daquela maneira incondicional, não convém a ninguém, facilitar pois provoca o lobo que vive dentro da leoa. Naturalmente. Como quem respira, Ailton... até que quem detém o poder de me juntar, me sossegue. :*

      Eliminar
  3. Jorge Atak23/03/12, 10:07

    E aí, sorry periferia, você exercerá o seu sagrado direito de se matar de inveja.

    De placa Regina. Nada ferina e muito felina: bela, observadora, mas com garras prontas.

    Love you.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Atak, dia desses (já vai longe, foi ano passado) num post meio "esta é minha vida" também, o Doc Lunarscape me disse que eu não contento em enfiar a faca. Eu torço a lâmina dentro. Será? rsrsrsrs De cima do salto né? Não suma, Botafoguense da Serra!

      Eliminar
  4. Quem pensa saber tudo sobre veneno, nunca esteve contigo;
    Brava Regina!
    Q venham os touros - Veludo neles!
    Forte abraço
    Neo

    ResponderEliminar
  5. Que venham los touros VELUDO neles!
    forte abraço
    neo

    ResponderEliminar