quinta-feira, 17 de maio de 2012

CAI A NOITE



Não resistirei à tentação!
Não quero que de mim - mais uma vez
Possas pensar que te apartas
Ao perder-me na ilusão de resistir
- Ao abrigo teu

Eu não resistirei à tentação!
Quando me procuras, entregues à razão
Que apenas minha sede ao dela beberes
Faz-te renascer na fonte de poderes sucumbir
- À minha paixão

Não resistirei à tentação!
Ao me contares em silêncio acanhado
Que apenas meu sim assalta-te
[E sabes bem saber que de te adonas]
Ao invadires com força o meu corpo,
- Teu calor assanhado

Resistirei a chamar-te de paixão,
A te alçar com palavras, ao paraíso
Aquele que em mim conheces, desejas
Mas não resistirei à tentação
De devolver a ti, saciado,
- Teu riso desavergonhado

O brilho dos teus olhos eu pedi
Fitando-me do espelho, me deste
Sem resistir, tentada por ti,
Prevendo tudo, muito mais
- Eu apenas, sorri.

Sem comentários:

Enviar um comentário