quarta-feira, 20 de junho de 2012

CAI A NOITE



Contigo passeio entre tua lógica ironia implacável
Até a ponta dos teus dedos, cheios de suavidade e calor
Perco-me contigo entre o que me alimentas 
E a rapidez dos teus olhos inquietos que perscrutam-me
Incessantemente, a dizer-me o que não quero
E adoro saber de ti - sob a névoa dourada do teu olhar 
- que me aquece
Contigo levanto-me e de ti levo a paz espelhada
Generosa, dividida comigo em mil sorrisos honestos
Cubro-me de tua virtude inviolável, cheia de simplicidade
E a sensatez do teu verbo enxuto que realiza-me
Caprichosamente a ensinar-me o que não desejo
E adoro sorver de ti - sob a proteção de tua Honra
- que me fortalece

De entre todos, apenas tu podes me roubar a dor
Furtiva, de todas as lágrimas não externadas 
A todo momento, quando me vês fracassar
De entre todos, apenas tu podes me tirar a cor
Das batidas do meu coração no meu peito, ao te ver sair
Partir, já de costas para mim, sabendo tu que comigo ficas
Estás, para sempre, permanecerás - eternizado
No verso, na dor, da cor, no sorriso, e no olhar
Em todos os tempos, conjugado em um único verbo:
Eu sei te amar.

Sem comentários:

Enviar um comentário