terça-feira, 24 de julho de 2012

CAI A NOITE


Aqui estão as tuas mãos!
Tocam melodia composta em braile
- intensa
Expõem do melhor mim
- o que tu és
No intervalo dessas nossas horas
- densas
Me manténs tu, em uma canção
- suspensa!

Aqui estão as tuas mãos!
Conduzem ações das constantes
- palavras
Desnudam do melhor das minhas
- a tua essência
Na reflexão dessas nossas horas
- lentas
Me atormentas a tua, nesses instantes
- ausência!

Aqui estão, nuas, as tuas mãos!
Claras, lindas, leves, levam-me
Seguras, à chama que de ti inflama

Ou em suave ternura à tua face
Em ânsia sentida nos lábios
- Fúria (deliciosamente) dorida
Em tuas mãos me esqueço
Me recomponho, me reconheço

Não tenho passado, futuro desconheço
Em tuas mãos renasço, assim penso
Porque perdida, em tuas mãos, sem pressa,
Eu te pertenço!

Sem comentários:

Enviar um comentário