terça-feira, 3 de julho de 2012

DOS MEUS MOLESKINES


Memórias, das histórias da minha história. Impressões e digressões particulares, que saem dos meus caderninhos inseparáveis para registro nesse que originalmente nasceu para "diário virtual", como um porta-desabafos, sobre o tema ou assunto que me der na telha.  É eventualmente porta-confidências, ou melhor, porta-inconfidências, com tanto a não dizer... Nos momentos de dizer alguns desabafos com (in)discrição calculada, de comum acordo decidido que a hora de comete-la chegou, faço dele um porta-depoimentos.

"Papai, você, meus valores, meus princípios: são a minha fortaleza!". Declaração presenteada ano passado, no meu aniversário. Uma honra, e que não é de brincadeira,  fugaz, passageira, leviana, tampouco superficialmente proferida. Honra que foi-se construindo com muito sal dividido, tanto nas execuções de atos e fatos bons, quando nas incertezas comuns da vida, que separam comportamentos mas não a essência, o fundamento, enraizado em algo maior do que há visualmente sobre a terra. Que jamais deixou de integrar-se, comunicar-se, unir-se. Saber-se. Valores e princípios nossos, postos a prova, todos os dias, sob diversos aspectos. Uma rocha firma a outra! E seguimos, perdendo, vencendo, construindo fortalezas. Vivos.

Histórias, guerras, agonias, cumplicidades, parceria. Confiança. Lastro. Ninguém pode arvorar-se dono do que há no espírito dos outros, não se mantém cativa, sequestrada, nenhuma (não) vontade. É impossível plantar um carvalho para obter abrigo de sua sombra. Não se constróem velhas relações. Elas solidificam-se por si, pelo tempo. E nada do que é eterno, tem pressa. 

Ilustração: America Comes to the Rescue of Justice and Liberty,  
de Georges Barbier
Frutificar - A Cor do Som

1 comentário:

  1. Recebi esta semana passada o livro que meu pai, aos 87 anos publicou relatando as suas memórias (antes que se apaguem por completo, segundo ele). Pense num peão que bebeu de um só gole tudo aquilo e derramou lágrimas sobre cada página. Muitas estórias e histórias eu conhecia, mas várias foram inéditas para todos nós.

    ResponderEliminar