sábado, 8 de setembro de 2012

PELO MENSALÃO, PT DECRETA A MORTE DA JUSTIÇA



"A tese dos aliados do presidente é simples. O STF não é a última instância. Acima dele, está o povo. E o ex-presidente Lula, provocado pelo massacre e pela catarse midiática que haverá com as imagens do “PT na cadeia”, poderá antecipar seu retorno efetivo às urnas, onde será, mais uma vez, absolvido."

[Esse texto acima é ipisis literis a abertura da "
matéria", muito destaque, do Brasil 247, o panfleto eletrônico do chefe da Sofisticada Organização Criminosa, José Dirceu, preservado até mesmo o negrito.]

Pela defesa do mensalão e dos mensaleiros, o PT decreta que a Justiça não tem o menor valor nestepaiz demencial que erigiram no lugar do Brasil. 

CorruPTópolis é a terra onde o petista juramentado usa a internet para louvar o Supremo Tribunal Federal por haver inocentado Fernando Collor de Mello, quando este presta-se a lambe-sarjeta dos mesmos, atacando o Procurador-Geral da República Roberto Gurgel e o trabalho dos procuradores Léa Batista e Daniel Salgado, do MPF/GO, na CPI do Cachoeira com o objetivo de desmoralizar o MPF e por conseguinte, jogar pressão sobre a (brilhante peça de) acusação dos mensaleiros no início do julgamento. Mas o PT usa o  mesmo caminho para - pasmem - desautorizar a decisão do STF de, até agora, seguir condenando membros da S.O.C. pelo mensalão, orquestrado, organizado, sistematizado e distribuído do cerne do governo Lula, a Casa Civil do José Dirceu, via operadores, até o Congresso Nacional.

Há um bom tempo, por várias vias, promove-se o enfraquecimento das instituições democráticas nestepaiz, e a Justiça, através de suas instâncias e representantes, tem sido alvo mais fervoroso da imprensa genuflexa ao governo. Para tanto, usam descaradamente da ingenuidade infantil dos defensores de causas da "ética" nas redes sociais, amplificando e muito o barulho contra os chamados "bandidos de toga". 

Quando a piquetagem de hastag ganhou força com o carimbo dramático da ex-corregedora do CNJ Eliana Calmon, poucos, raros de nós tivemos a coragem de não nos deixar levar pelo oba-oba, graças à luz do raciocínio e da análise fria dos fatos (leia arquivo ao final deste post). Não questiono, em particular, as intenções da então porta-voz incidental do "movimento" contra a própria Justiça, apenas considero execrável o método e o gosto exacerbado pela verborragia irresponsável, uma vez que, sem enxergar lá na frente (será?), essa conjunção de críticas providenciais midiaticamente avolumadas serviria, como está a servir muito bem, exatamente à causa dos iguais (mas sem a toga) àqueles que a ministra Calmon tornou-se ídolo nacional por combater. O que significava a campanha sistemática de desmoralização do Judiciário pré-votação do mensalão

O STF não é a última instância. O povo é que manda. Não precisamos de Justiça, de leis, de nada que não seja o PT no poder. Não me aprofundo mais sobre isso, nesse momento. Já foram milhares de palavras, escritas por mim e pelos amigos que fazem o Veneno Veludo, enviando posts ou comentários. Foram milhões de caracteres debatendo os perigos de não enxergar, porque somos todos filhos de uma revolução perdida com vontade de fazer passeata por qualquer coisa sem pensar um milímetro além do oba-oba. Foram milhões de caracteres de críticas recebidas dos bem-intencionados cheios de amor no coração e raso discurso "contra corrupção", por não aderir à causa que pregavam no momento - e já mudaram N-lhões de vezes após esta arrefecer um pouco. 

Repito o alerta que faço há tempos no Twitter, transformo em pedido registrado no blog. Aqueles da Justa que me seguem lá no microblog e leem aqui, que agora façam-me o favor de ler a "reportagem" daquele panfleto mequetrefe a serviço do chefe da S.O.C, Zé Dirceu, e vejam se enfim passam a acreditar no que eu sempre falei: não fica nada bem repercutirem os links e posts daquele lixo, que não passa de uma Carta Capital fantasiada de roupa limpa e bem passada para pegar justamente os incautos, loucos para acreditar que trata-se de IMPRENSA ISENTA. Para quem tem disposição para pensar, por pouco que seja, é bom lembrar que APOLOGIA AO JUSTIÇAMENTO não é de agora, vem intrincada na ideologia de marginais como Che Guevara e ditadores como Stálin, e que ganhou força e ares de correção nestepaiz ao se perdoarem os crimes de justiçamento cometidos pelos guerrilheiros da esquerda durante a vigência do regime de exceção no Brasil pós-1964.

Tanto se falou por tantos meses contra a Justiça, que ninguém se espanta quando o PT , CONDENADO PELO MENSALÃO, decreta a morte dessa Justiça, e duvido que haja missa de sétimo dia. É nisso que dá. Deixaram chegar, agora aguentem. 

1 comentário: