sexta-feira, 2 de novembro de 2012

CAI A NOITE


A fina trama da vida
Cobre docemente teu rosto
E tens nesta cesta
Nossos meios nossas razões de viver
És tão sábia quanto és bela

A ti são ditas as palavras mais belas
Falaremos esta noite sobre nós e os pássaros
Não ouviremos a longa e surda história
Dos homens expulsos de suas casas
Pela morte com mandíbulas de ouro
Dos homens menos orgulhosos que os animais
Que perseguem a desgraça por toda a parte
Que não chegam portanto todos nus
Num asilo de claridade como o nosso

Cuidamos um do outro
Dia após dia guardamos nossa vida
Como um pássaro mostra sua forma
E seu prazer
Entre tantos pássaros que virão.

Paul Eluard
Ilustração: Coupe Lisant, de Renoir

Sem comentários:

Enviar um comentário