segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

CAI A NOITE


Assim eu vivo quando nasce o dia 
Nessas margens entre montanhas 
Tu te viras - Em mim 
Dá-me o teu sorriso ao amanhecer 
Agarras meu olhar - Em ti
Tocas o meu querer
Renasce todo o teu ser 
Em minhas entranhas.

O timbre que há muito reconheço 
Está novamente à porta - do meu dia 
No instante profundo em que tua voz 
- o meu nome clama
Eu recomeço
Em cada púrpura gota das minhas veias 
Que corre, em chamas
O teu ser em mim exclama:
Que eu a ti pertenço.

Sem comentários:

Enviar um comentário